quarta-feira, 5 de agosto de 2015

O fim da gestão Haddad


Foi divulgada ontem a primeira pesquisa para as eleições municipais de SP de 2016. O resultado foi catastrófico para o atual prefeito Fernando Haddad. Ele aparece em 4º com 9%, atrás dos televisivos Celso Russomano e José Luiz Datena, além da antiga aliada e agora rival Marta Suplicy. O candidato do PSDB, Bruno Covas ou Andrea Matarazzo, aparece em 5º lugar. Nomes desconhecidos, qualquer um dos dois tende a crescer com o apoio de Alckmin e os programas eleitorais, o que torna bem possível que Haddad fique em 5º lugar. Creio que seria algo inédito na história do mundo um candidato à reeleição ficar em 5º lugar. O que Haddad pode fazer para mudar este cenário? Em minha opinião, nada.
Haddad é um choque para SP. Um choque de modernismo para o qual a cidade não estava mentalmente preparada. Numa cidade em que se fala apenas do indivíduo, ele pensou no coletivo. Numa cidade em que as pessoas se enxergam como consumidores, ele nos tratou como cidadãos. Pagará o preço por isso no ano que vem.
Nunca um prefeito pensou tanto no coletivo sem fazer concessões. Marta, que também revolucionou o transporte coletivo em sua gestão, fazia concessões como a construção do túnel Rebouças, por exemplo. Haddad não. Fez aquilo que se faz em toda cidade grande de 1º mundo, criou dificuldades para os carros e investiu nas bicicletas. Mas como convencer pessoas que foram criadas com a ideia de o que carro simboliza o ápice do sucesso e que entram em prestações eternas para ter conforto e demonstrar algum tipo de ascensão social a andar de bicicleta? Um vídeo que circulou nas redes sociais mostra uma bicicleta andando mais rápido do que um carro na Marginal Pinheiros. Em outros lugares do mundo, isso faria as pessoas largarem o carro. Aqui, muda-se de prefeito.
Nada simboliza mais a mentalidade de boa parte da população paulistana do que a polêmica em torno da redução de velocidade nas Marginais. Eu, sinceramente, não tenho opinião formada sobre o assunto. Ao mesmo tempo em que tendo a concordar com medidas que penalizem o uso de automóveis, concordo que a Marginal é uma via expressa e que é muito improvável um caso de atropelamento nela em que a culpa não seja do pedestre. Por isso, não acho nada sobre o assunto. Espanta-me, porém, o grau de polêmica que este assunto gerou. De repente ter que andar a 50 km/h na Marginal se tornou o maior problema da cidade. Esqueceu-se até da falta d’água. O Governador da Sabesp teve 49% dos votos na capital. O Prefeito que reduziu a velocidade nas Marginais tem 9%. Daí pode-se concluir que o paulistano, em geral, prioriza o carro à água.  
No combate ao crack, Haddad optou pelo caminho da cidadania. Seu programa de acolhimento aos usuários também gerou críticas e foi maldosamente apelidado de “bolsa-crack”. Dois anos depois, uma reportagem de um grande jornal traz como título que 40 % dos atendidos por este programa abandonaram o programa. Uma manchete mais otimista diria que 60% dos atendidos continuam no programa depois desse período. 60 % para este caso é muito, basta pensarmos na quantidade de celebridades que se internam em clínicas milionárias pelo mesmo problema e têm recaídas. Uma parcela significativa da população não quer seus impostos gastos nisso. Quando se pensa como consumidor, perde-se a noção de cidadania, perde-se a capacidade de enxergar o outro com algum grau de compaixão. Estimula-se toda uma retórica estimulando a competição e a meritocracia que faz com que as pessoas não reflitam, sendo contra o uso do seu suado imposto na reabilitação de pessoas a margem da sociedade. Não à toa o defensor dos consumidores está em primeiro.
Toda ação gera uma reação adversa de igual intensidade. A onda de rejeição a Haddad gerará um próximo governo que provavelmente será o seu oposto. O seu pensamento coletivo será substituído ou pelo já citado individualismo do consumidor de Russomano ou pelo individualismo do medo de Datena, que receberá os votos daqueles cuja prioridade é a sobrevivência na alardeada guerra urbana em que vivemos. A pessoa que tem medo pensa apenas em si. Quer seu imposto gasto em armas e polícias, não em parques e praças.
O candidato do PSDB deve crescer, mas creio todos se uniriam contra ele num provável segundo turno. Não vejo também chances para Marta. Sua candidatura é um tiro no pé para ela e para Haddad. Os dois têm o mesmo eleitorado, concentrado na periferia e na “esquerda Vila Madalena”. Aqueles vão de Marta e estes vão de Haddad, de tal forma que nenhum dos dois terá votos suficientes para ir ao segundo turno.
O que resta para Haddad? Para mim, ele deve esquecer a eleição do ano que vem e pensar em como a história se lembrará dele. Apenas o tempo e a mudança de mentalidade de uma nova geração serão capazes de reabilitá-lo. Paulo Maluf deixou a prefeitura de SP em 1996 com 92% de popularidade. Veja como sua gestão é avaliada quase 20 anos depois.
Haddad deve aproveitar este 1 ano e 5 meses que restam de mandato para aprofundar as transformações que vem realizando na cidade e aguentar a provável humilhação das urnas no ano que vem. Voltar atrás agora significaria prejudicar seu legado e não trará os votos necessários para um segundo mandato. Nenhuma concessão. Fechar o minhocão aos sábados e a Paulista aos domingos. Investir no Plano Diretor e no combate à especulação imobiliária. Estimular a ideia de que uma cidade não é apenas aquilo que está do lado de fora do vidro do carro no caminho entre a casa e o trabalho. A cidade também é algo para ser vivido. Hoje a maioria não valoriza isso. Quem sabe em 2036.

181 comentários:

  1. Gosto muito de seus textos, mas discordo parcialmente deste. O trecho "Mas como convencer pessoas que foram criadas com a ideia de o que carro simboliza o ápice do sucesso e que entram em prestações eternas para ter conforto e demonstrar algum tipo de ascensão social a andar de bicicleta?" peca por generalização. Dá a entender que as pessoas rejeitam as medidas do prefeito por motivos fúteis.
    Moro na periferia da zona sul de São Paulo e, pelo que posso observar, existem sim muitas pessoas que vêem no carro um símbolo de status, mas também há aqueles que desejam ter um carro para não precisar depender das condições precárias do transporte público. Em bairros mais próximos do centro ou com fácil acesso às principais rodovias, os corredores causaram alguma melhora no tempo de locomoção. Porém, em áreas mais distantes, ainda é preciso sair de casa com duas ou três horas de antecedência e enfrentar ônibus e trens extremamente lotados, até porque os horários não são constantes e a frota não dá conta da demanda. Em uma cidade populosa como a nossa, priorizar o transporte público tem muita lógica. Entretanto, obrigar o cidadão a deixar seu carro em casa e enfrentar uma situação onde "desconforto" é uma palavra branda para descrever, é injusto e errado. Precisávamos de muitas melhorias nos transportes antes de partir para esta decisão extrema.
    Em tempo, não uso carro como meio de transporte, exceto nos finais de semana. E, diferente de muita gente que conheço, dirigir para mim não é um prazer. É até estressante. Mas, acho as condições dos transportes públicos igualmente estressantes. Por isso, entendo aqueles que não querem abrir mão do seu carro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá... primeiramente obrigado pelo comentário...
      concordo com o que você disse... principalmente no que se refere à precariedade do transporte público na periferia. Acho, porém, que exigir que o transporte coletivo tenha o mesmo conforto do transporte individual é uma desculpa que boa parte das pessoas que não querem abrir mão do carro usam para não abrir mão dele... Lógico que a situação em algumas regiões ultrapassa o limite do aceitável, mas sem dúvida nos últimos 2 anos e meio melhorou... e note que as críticas ao Haddad, ao menos as que aparecem na grande mídia, estão quase sempre relacionadas a questões ligadas ao transporte individual por carros, nunca sobre a questão dos transportes públicos em regiões afastadas... Por isso acho que sim, as críticas que jogaram a sua popularidade lá embaixo e que provavelmente resultarão na sua humilhação nas urnas ano que vem são motivadas por futilidades...

      Excluir
    2. "O mesmo conforto do transporte individual" eu não digo, também acho isso bastante utópico. Mas, se os horários fossem confiáveis, se houvessem mais ônibus circulando, com uma quantidade de pessoas em pé coerente com a lotação máxima permitida (o mesmo para os trens), já seria muito melhor.
      A redução dos limites de velocidade nas marginais foi desnecessária, pois acho que os maiores causadores de acidentes são aqueles que não respeitam estes limites. E continuam não respeitando. O problema de semáforos que desligam durante chuvas foi apontado há muito tempo e não foi corrigido. Isso também causa acidentes. Nestes casos, aumentar a fiscalização, multando infratores e atualizando o sistema dos semáforos seria um bom começo. Ele até mandou instalar mais radares agora, o que só desagradou um eleitorado já muito irritado.
      Acho importante destacar: eu votei no Haddad. Gostei de suas propostas e acreditei que ele era uma pessoa com boas intenções. Gostei das suas ações em prol dos ciclistas. Sempre achei que eles precisavam de mais espaço, mas detestei a execução do projeto em algumas regiões. Por outro lado, a ampliação dos benefícios do bilhete único foram ótimas.
      Ainda acredito que ele seja uma pessoa com boas intenções, porém, seus principais projetos na área não solucionam o problema dos transportes e causam muitos transtornos.
      Enfim, apesar de todas as minhas ressalvas, sou obrigado a concordar com você. O foco das críticas não está na precariedade dos transportes públicos. Deveria, mas não está.

      Excluir
    3. Pontos a considerar sobre o motivo do transporte na periferia ser precário: muitas vezes os ônibus não atendem à demanda ou demoram pq estão presos no trânsito causado justamente pelo excesso de veículos. Ao observar os ônibus que circulam na região do centro expandido vemos que muitos circulam vazios pois muitas pessoas, mesmo morando a menos de 8km do trabalho, usam o carro. Assim o trânsito se propaga como uma onda que, no fim, ‘deságua’ na periferia.

      A redução das velocidades na marginais é boa para todos. Para os motoristas auxilia na redução do trânsito, pois em velocidades menores o espaço necessário entre os carros para frenagem é menor e os pontos de gargalo (como as saídas das marginais) não ‘entopem’ por causa do grande número de carros que anteriormente chegava lá com mais rapidez (isso é exemplificado de forma didática no vídeo ‘rice and traffic congestion’ feito pelo departamento de trânsito de washington e facilmente encontrado no youtube). E vale lembrar que nos relatórios de acidentes muitas vítimas na via expressa são motoristas e passageiros e não pedestres. Já na local, em que há muitos pedestres nas calçadas por causa das empresas, a redução a 50km/h é necessária. Não são raras as histórias de pessoas que quase foram atropeladas nos postos de gasolina por causa da rapidez com que os carros entram, já que eles não reduziam para evitar a colisão do outro carro que vem rápido logo atrás.

      Excluir
    4. Um pitaquinho. Meio injusto você dizer que gostou das medidas do Haddad, achou que deu uma melhoradinha, mas culpá-lo por não "resolver" o problema. Infelizmente, não há nenhum problema sério de São Paulo que possa ser resolvido em 2 anos e meio! Mesmo que o prefeito tome as melhores medidas do mundo, não vai resolver o problema do trânsito em apenas uma administração. Nem o problema do Crac. Nem das inundações. Nem da violência. São décadas, talvez séculos de problemas acumulados, e muitos exigiriam intervenção nas diversas esferas (municipal, estadual e federal). Veja o trânsito por exemplo: enquanto Haddad criava ciclovias, o governo federal reduzia IPI e aumentada o financiamento de automóveis individuais! Ou seja, no mundo real, tudo que podemos esperar é isso, uma melhoria... e, teoricamente, se votarmos certo, que essa melhoria seja contínua até que um dia, daqui a anos e anos, o problema finalmente chegue a uma solução.

      Excluir
    5. Achei o texto interessante e mais interessante ainda as respostas a esse comentário. Claramente quem respondei não vive nas periferias e não compreende, portanto, a extensão do problema. Enquanto os ônibus que circulam nos corredores tem melhorado em qualidade, ficado mais novos, modernos e silenciosos, o sistema de transporte público das periferias só peca: tranportes antigos, microonibus com motoristas despreparados, dirigindo "como loucos". Alguém mencionou que os ônibus atrasam porque ficam presos no trânsito da cidade... mas agora, nas principais vias onde o trânsito realmente pesa, existem os corredores. Como justificar o atraso? Também vale mencionar que o prefeito reduziu o número de ônibus em algumas linhas, fazendo com que no horário de pico o transporte chegue bem próximo ao limite do insuportável. Só quem já ficou mais de uma hora em pé, num ônibus lotado em um dia de verão sabe do que estou falando. Chamaram de "utópico" querer um transporte público confortável, mas ninguém imagina um transporte no nível de um carro. Apenas confortável, algo no qual você não passe mal de calor, ou não saia com suas pernas ardendo por não conseguir se mover por horas. Utópico, para mim, é exigir de uma cidade que motoristas abandonem seus carros como no primeiro mundo, sem no entanto possuir um transporte público de primeiro mundo.
      Uma ideia: escolha uma zona periférica da cidade, extremo da zonal sul ou da zona leste, longe de metrô, na qual você tenha que, a partir de uma zona central como a Paulista, você tenha que enfrentar o horário de pico para retornar. Faça isso por uma semana e então pense se temos transporte de primeiro mundo. Esse é o problema com a gestão Haddad: eu nunca tive nem quis ter carro, mas vivendo essa realidade diariamente sei que, na prática, as condições só melhoraram para quem vive na região central. Até porque boa parte dos cidadãos de São Paulo não tem carro, precisam do transporte público e não votariam no Haddad, porque a vida de quem enfrenta essa realidade que descrevi acima não melhorou.

      Excluir
    6. Alessandra, seu texto foi perfeito. Quando digo que acho utópico exigir que o nível de conforto entre um carro e um ônibus seja o mesmo é porque nunca será mesmo. Mas, poderia ser confortável sim, no nível de um transporte público decente. Realmente, só quem vive esta realidade todos os dias sabe do que estamos falando.

      Excluir
    7. "existem sim muitas pessoas que vêem no carro um símbolo de status, mas também há aqueles que desejam ter um carro para não precisar depender das condições precárias do transporte público".
      É justamente isso que o prefeito esta tentando fazer: melhorar o transporte público em detrimento do individual! Como quer que o transporte público seja melhorado sem que se melhore as condições de circulação da cidade até o ponto do transporte individual ser desfavorecido e o público coletivo, favorecido?

      Excluir
    8. Mac e lafa
      suas colocações são bem mais coerentes...parabéns

      Excluir
    9. Mac e Lafa, não se esqueça de que os trens são responsabilidade do Geraldo Alckmin, assim como o metrô! A CPTM é péssima e os caras tão no poder há mais de duas décadas! Ainda não deu tempo?!

      Excluir
    10. Não leve a sério essas pesquisas. Não tem credibilidade alguma.

      Excluir
    11. O texto tem méritos, realmente Haddad é uma mudança de paradigma necessário e tardio, infelizmente. Agora acreditar nessas pesquisas?! Não dá! Ele foi eleito quando essas "pesquisas" diziam que ele tava fora do páreo.

      Excluir
    12. Só acho que como todos os textos que defendem a bicicleta e por isso enaltecem a visão do prefeito, esse também esquece que entre a bicicleta e o carro existe a moto. Pode ser que não é tão ecológico como andar de bike, mas é muito mais econômico e viável que o carro, permite menos congestionamento e não causa transtornos a cidade se houver educação para ambos. Concordo que os cidadãos da cidade não tem educação, mas o prefeito também poderia ter prestado mais atenção a coisas mais importante do que alterar velocidades das vias, e ainda manteve a proibição para as motos nas vias expressas das marginais que foi imposta pelo Kassab, outro cabeçudo. Entendo que pensar no coletivo é bom, mas para isso precisa se ouvir o coletivo e não uma pessoa achar que sabe o que é coletivo e aplica-lo à força.

      Excluir
    13. João - A Grande Mídia não defende os interesses de quem mora na periferia sem estrutura... sua observação de que a crítica ao Haddad em relevância é "somente" o que a grande mídia diz ignora novamente o ponto que "Mac e Lafa" abordou.
      Alex - Desculpa, seu argumento seria válido se tivesse comentando sobre a pista local, que tem acesso as vias secundárias, postos de gasolina e etc, mas a faixa expressa? São vias para cruzar a cidade e a velocidade muito baixa não tem propósito algum... Pra mim o modelo correto seria 90km na expressa, 70km na central e 50km na local... ou algo assim.
      dmmg - Lembrou muito bem o conflito entre querer forçar que São Paulo vire uma cidade da Europa com a cultura incentivada no plano geral.
      Alessandra - O que ela comenta justamente aponta para o que foi comentado no início e que o João justificou como crítica da grande mídia, passando um pano sobre o problema de quem esta distante... ou pior por que eu por exemplo saio de Cotia para São Paulo todo dia, mudei para escapar um pouco da especulação imobiliaria e por isso rodo 36km (72km totais) por trajeto... a Alessandra citou muito bem... eu por exemplo uso a moto!

      Excluir
    14. Enquanto nao tivermos pessoas no governo falando a mesma lingua nao teremos solução e e essa solução é a longo prazo. Enquanto oferecem ciclovias (pref), oferecem carros em 90x sem juros (governo federal) .... é um contraponto, para melhorar a economia ?. Os transportes principalmente onibus é realmente inaceitavel em horarios de pico, pois, se quiser ir e vir do trabalho você tem que pega-los nos terminais pois no meio do percurso você altamente está condenado a vir amassado. Entao duas alternativas ou você vai de bike e acorda 5 da manha ou sofre as consequencias pegando o bumba às 06:30, o problema é que para se ter conforto você precisa mudar seus habitos! E assim porque acorda às 5? se poderia ser melhor acordar às 06:30 e pegar um transporte melhor que chega no horario..... tdo mundo sabe quem mora nas extremidades fica mais facil o ir e vir ...o problema é o pessoal que pega o itinerario no meio do caminho! Segundo ir de bike... primeiro que nao se tem segurança...ir pelas ciclofaixas, segundo chegando na sua empresa muitas delas nao estao preparadas para este tipo de conscientização....pq elas nao colocam nem vestiarios com chuveiros para seus funcionarios.... e eai envolve uma serie de fatos que precisa ser pensado! Ou seja se faz as coisas mas nao se monta uma estrutura para que funcione isso nao é administração boa no meu ver. A ideia é boa so que a execução é ruim. Portanto fora mesmo!

      Excluir
    15. Frank Brasil, o fato de eu criticar a gestão de Haddad não significa que Alckmin tem o meu apoio. Fiz uma crítica ao transporte público como um todo, dos quais dependo todos os dias, sem levar em conta a quem cabe sua administração, focando nas falhas do prefeito porque ele é o assunto. Não podemos reduzir tudo a "coxinhas x petralhas", onde quando se critica um lado você, automaticamente, apóia o outro. Se o texto falasse sobre Alckmin, também tenho uma longa lista de reclamações desse senhor, que envolvem educação, segurança e diversos outros exemplos de péssima gestão.
      O paulistano tem muito o que lutar por melhorias. E nenhum destes senhores no poder está nos ouvindo como deveriam.

      Excluir
    16. "muitas vezes os ônibus não atendem à demanda ou demoram pq estão presos no trânsito".

      Se os ônibus já estão superlotados com bastante pessoas utilizando meios particulares de transporte, imagine se todos migrassem para o transporte público, seriam mais pessoas dentro da lata de sardinha que já estava cheia. Acho que muitos de vocês que falam sobre o transporte público andam de carro, e sabe porquê? Por que se vocês entrassem num ônibus em quem nem é preciso se segurar, pois o amontoado de pessoas já o imobiliza no ônibus, além de ser bem perigoso, Deus livre e guarde, aconteça algo com uma lotação fora do limite, seria uma tragédia, entre outras coisas como, o perigo de transmitir doenças infecciosas, muitas pessoas perto uma das outras, cheiros desagradáveis, e até aquela famosa encochada que nem se pode reclamar.

      Pra deixar claro, de fato o transporte público é péssimo, porém é algo que vem de outros carnavais, e não algo que veio da gestão haddad, mesmo que em passos curtos ele deu os passos que podia, acho que foi um gestor regular, não querendo dizer que não atingiu as próprias metas, apenas que podia ter surpreendido mais, a minha intenção foi demonstrar o porque das pessoas não trocarem seus veículos para andar de ônibus nunca.

      Excluir
    17. Mac e lafa, parabéns pela coerência e imparcialidade!

      Excluir
    18. Concordo com o que falou o Mac e Lafa e acrescento: como querer que alguém que mora na periferia, a mais de 20 km do seu trabalho abandone o carro, ou até mesmo o transporte coletivo, para ir de bicicleta? Apoio as ciclovias, mas vejo que ela não resolve o problema de mobilidade em São Paulo. Só resolve pra quem mora próximo ao seu trabalho, à casa da namorada(o), próximo à casa da mãe, etc. Se não for próximo, esqueça! Vá de carro ou transporte coletivo.
      Eu moro próximo à Itaquera e trabalho em Mirandópolis, como eu faria pra ir de bicicleta ao trabalho? Impraticável! Além de que a ciclovia da Radial Leste não tem ligação com outra ou outras... acaba tão repentinamento quanto começa. Sem sentido, planejamento preguiçoso e gasto de R$ 180 mil por km de ciclovia pintada com tinta que sai com a água da chuva. Na minha opinião, nada tem nexo, nada disso faz sentido... já morei na Europa e vejo que as ciclovias daqui nem cópia das de lá são, porque se fossem teriam o mínimo de qualidade.

      Excluir
    19. Nossa, se ele não for ficar em São Paulo, vou REZAR para ele querer vir ser prefeito em Fortaleza- CE! Haddad é uma pessoa muito a frente dos "conceitos e preconceitos" de seu tempo- uma pessoa iluminada. Parabéns pelo texto.

      Excluir
  2. Excelente texto! Os muitos problemas da cidade não serão solucionados de um dia para o outro. Acredito que nem em dois mandatos. Mas o que posso dizer é Haddad teve a ousadia de mexer em algo que a população nem imaginava que seria possível. Ciclovias viraram piadas, ao mesmo tempo muitas pessoas estão utilizando e aprovaram a ação. As faixas de ônibus foram ridicularizadas, mas para muitas pessoas elas são úteis e melhoraram o tempo do trajeto. Mexer nas velocidades das grandes vias, isso ainda está mexendo com o ódio de muitos motoristas, mas ainda nem deu tempo para saber se realmente está mais seguro. Gosto do atrevimento do prefeito e também já lamento por ele, mas ao mesmo tempo, acho que ele já sabia disso a partir do momento em que mexeu nesses "vesperos intocáveis".

    ResponderExcluir
  3. Uma dica. O auto contraste entre o fundo e o texto dificulta muito a leitura, tende usar uma combinação menos contrastante para facilitar o conforto visual. Um abração!

    ResponderExcluir
  4. Discordo parcialmente. Não concordo que ele seja moderno e sim tentou implantar alternativas ao transporte de uma forma imatura e irresponsável. Até hoje não apresentou os projetos definitivos dos corredores de ônibus, e olha que quando foi paralisado nem isso tinha. As ciclofaixas alem do preços absurdos foi feito de uma forma totalmente sem planejamento e estudo, colocando diversas delas em locais que simplesmente não tem nenhuma demanda, isso interfere diretamente em custo, e muitas sem planejar prejudicando muitas vezes o comercio. Mas o ponto principal na minha visão é fazer um investimento dessas proporções e não ter remédio para a população mais pobre, é você diminuir a verba para educação e saúde como ele fez e investir nessas mudanças, é se preocupar com algumas mortes na marginal e não lembrar das milhares que morem por falta de leito. Na verdade o que nós paulistanos estamos indignados não está relacionado ao carro, e sim onde ele está aplicando o esforço e quais resultados isso trará para a sociedade, sem ideologia, tem que ser algo racional e lógico para investir dinheiro. Ele gasta o tempo e dinheiro em ideologia comprometendo o orçamento que por sinal teve uma explosão na divida da cidade. Até agora não vi resultado com ciclofaixa muito menos com mais faixa de ônibus onde a própria CET ja afirmou que um ano após a implantação as velocidade e tempo de viagem do ônibus voltaram ao patamar antigo, ou seja não foi feito um estudo nem planejamento para isso. Em uma cidade da proporção de São Paulo você precisa fazer tudo muito planejado senão você ciar um efeito dominó. Esse discurso de classe de dizer que o paulista só quer carro é mentira, é você fornecer transporte de qualidade que eu sou que deixo o carro e vou usar o transporte coletivo, acho que não preciso enumerar os problema com transporte publica para justificar o uso do carro né. Vou dizer um só, no horário de pico se você não se estapear no ponto de ônibus você não entrar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrou bem. Deveria se empenhar mais em saúde e educação. Falta médicos, insumos e medicamentos. A cidade e praças estão cheias de lixo.

      Excluir
    2. Lembrou bem. Deveria se empenhar mais em saúde e educação. Falta médicos, insumos e medicamentos. A cidade e praças estão cheias de lixo.

      Excluir
    3. Já que falou do $$ gasto em Ciclovias: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2015/08/levy-autoriza-acordo-com-haddad-sobre-divida-de-sp-com-uniao.html

      Ele economizou nessa renegociação, valores do vulto dos que o governo estadual tem gasto com suas obras infinitas no metrô.

      Excluir
    4. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    5. Rodrigo, entendo a causa "saúde e educação" que você levanta a bandeira. São Paulo nunca (NUNCA) foi uma cidade exemplar nesses pontos, infelizmente. Mas teu discurso é clichê e discordo contigo quando diz que o que deixa os paulistanos indignados é a utilização do esforço e recursos na cidade. Não sei há quanto tempo mora aqui ou em que região vive, mas garanto que as críticas feitas ao atual prefeito não eram feitas nas gestões anteriores. Quem é da área artística e cultural sofreu nas mãos do Kassab e do Serra, por exemplo, que nada fizeram pela capital e não trouxeram nenhum resultado para a sociedade com investimentos lógicos e racionais, como você mesmo disse, seja em saúde ou educação. Até porque são temas que sempre tapam buracos ou criam programas 'inovadores' que não terão manutenção ou pesquisa de eficiência. Assim sendo, o problema não está na forma como é gasto o dinheiro e o esforço, o problema é quem faz, a qual partido pertence e a quem foi priorizado.
      Se não houver ideologia envolvida, tudo permanecerá a mesma coisa. Cultura é uma das bases da educação. Hoje vemos mais pessoas ocupando espaços públicos, mais coletivos promovendo arte gratuita, mais alternativas de transporte...
      Portanto, eu já creio diferente: paulistano não estará contente mesmo que não tenha mais filas nos postos de saúde e todas as crianças do 1º ano forem alfabetizadas. O lance político na capital é bem egoísta - não me refiro a você somente, mas a todos, inclusive a mim. A cidade de São Paulo nasceu e cresceu sem planejamento, de forma desenfreada, explosão demográfica. Hoje, muitas falhas de logística, administração, gestão etc provém desse desenvolvimento duvidoso durante décadas.

      Quanto às ciclovias,
      "... colocando diversas delas em locais que simplesmente não tem nenhuma demanda".
      Eu encaro isso como algo super válido. Afinal, a implantação de ciclovias não serviu somente para os atuais ciclistas ou para os fluxos de bicicleta já existentes. É como objetivo, também, a propagação da ideia como alternativa de transporte. Aqui na zona leste, foram criadas muitas ciclofaixas onde sequer havia imaginado. Me surpreendi tempos atrás com pessoas utilizando. Até então não tinha nenhuma 'demanda'.

      Deixo claro que só expus uma outra visão sobre a cidade, não é nada pessoal, muito menos busquei ofender rs

      Grande Abraço.

      Excluir
    6. Rodrigo Vedovato,
      a parte de se estapear para entrar no ônibus é 100% verdadeira!! já passei muito por isso, inclusive no metrô também é assim, é a Lei do mais forte, se não empurrar daqui e dali você não entra no trem, e quando entra tem que correr para o lado se não as pessoas te empurram para fora do trem pela outra porta, sem contar com os engraçadinhos que nós mulheres somos obrigadas a tolerar... Moro em Guarulhos há uns 8 anos, e agora não preciso mais enfrentar o transporte público diariamente, mas já sofri muito, anos e anos, chega uma hora que você chega a conclusão que nem boi é tratado com tanto desrespeito.

      Excluir
    7. Rodrigo, de onde voce tirou a informação de que o prefeito tirou dinheiro da saude e educação para investir em ciclofaixas? Isso não procede. O dinheiro para implantação das ciclovias veio da secretaria de obras públicas. Digamos que em vez de fazer mais um viaduto ou tunel, o prefeito optou por fazer ciclovias que foram sim previamente planejadas e discutidas em dezenas de reuniões com entidades engajadas com a cicloativismo tais como: Ciclocidade, CicloBR e Vá de Bike só para citar algumas. Quem afirma isso é a mídia conservadora.
      Não se esqueça que os medicamentos vem do SUS, ou seja, do governo federal. E quem tem que construir hospitais e aumentar o número de leitos é o governo estadual. Também retiro para minha mãe, a maioria dos medicamentos de que ela necessita no SUS. Algo inimaginável há dez anos atrás. Falta muito ainda, mas avançamos muito.
      Ciclovia não é demagogia. É qualidade de vida. A propósito uso a bicicleta como meio de transporte em São Paulo há oito anos. Uso frequentemente a ciclovia da R. vergueiro, Av. Paulista, região central da cidade, Moema e Av. Cruzeiro do Sul. O número de ciclistas só aumenta a olhos vistos. Antes da implantação das ciclovias o prefeito conversou com vários outros prefeitos de outros países e o que ele mais ouviu foi: "façam as ciclovias que os ciclistas virão". É o que está acontecendo.

      Excluir
    8. Ao meu ver Marici e pelo que ouvi e li muitas vezes o problema foi a ausência de contra pontos nessa conversa... "só" ciclo ativistas participaram dessa reunião por que esse discurso de que foi mal feito mas pelos menos foi feito algo é igual ao rouba mas faz do Maluf. Agora é claro que como usuário de bicicletas você defenderá que ciclovia é a solução, eu como motociclista vou pedir para que as motos façam parte desse debate por que somos considerados marginais e nunca fazemos parte do debate, sendo que a moto é extremamente viável para longas distâncias, faz jus ao transporte individual ocupando menos espaço nas vias e contribui para uma cidade menos engarrafada. Inclusive se o Governo Federal incentivar as montadoras as motos elétricas podem ser uma solução absurdamente inteligente, exceto pela tração humana que pode representar "mais saúde", será tão ecológica quanto a bike... e não vamos entrar no mérito da questão industrial para fabricação por que ambos tem um custo, afinal a bike também sai de uma fábrica e precisa de minerar matéria prima e etc....

      Excluir
  5. Pra quem "curte" política, mas não tem preguiça de ler. Pra quem "curte" dar opinião, mas não tem preguiça de ler. Pra quem "não curte" ciclovias, mas precisa começar a ler e pensar mais. Enfim, pra quem gosta do contraditório, gosta de sair da casinha e não se importa em ler um texto "longo"...

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente, parabéns pelo texto. Concordo com o que acredito ser o ponto principal: a solapada na eleição. Também penso que esse resultado já é esperado desde o início, com a polêmica de reabertura da Praça Roosevelt (sobre a violência da Guarda Municipal) e a eterna briga pelo Parque Augusta. Cito exemplos do centro por ser a região que vivo e devo dizer que não sou completamente a favor da gestão por apresentar diversos problemas, como a situação do lixo na cidade ou as enchentes (que foram mais escassas mas não significa que seja um problema resolvido apenas com placas de "zona sujeita à enchentes"). Mas acredito que seja sim uma prefeitura de desenvolvimento que tem futuro e como qualquer desenvolvimento necessariamente está ligada à um início arcaico, com falhas, criando assim sua possibilidade de evolução. O que acredito ser o trabalho maior de convencimento (este reservado à militância que será naturalmente necessária) parte da base de comparação entre governos exatamente com o que você diferenciou de coletivo/individualista. A vantagem é que o coletivo ainda existe em maior número e precisa lutar por manter esse caminho evolutivo. Talvez eu seja muito otimista, mas acredito ser possível mostrar as diferenças.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo elogio e pelo comentário Zeca.

      Excluir
  7. Man...Ao mesmo tempo que concordo discordo do seu texto. Eu sou usuário de carro (trabalho de madrugada) e de ônibus (dia), trabalhar com o jornalismo em SP me faz concordar e discordar frequentemente do prefeito. Concordo com a redução da velocidade, mas em parte, seria mais facil ele reduzir a velocidade 50km/h em horários parciais e noite e madrugada voltar ao antigo. É dificil fazer isso? Não, mas conheco muito bem a CET e a onda de caixa e a ideia de tirar carros e caminhões da grande sp direcionando-os para o Rodoanel, etc.

    Praças, parques etc. blz, Haddad faz muito bem, Ciclovias? Ideia é ÓTIMA, mas horrivelmente executada (isso eu considero incompetência dos que o cercam e não o prefeito diretamente) Algumas ideias são muito bem pensadas, mas muito mal executadas e até hoje em só me pronunciei diretamente ao prefeito por 4 vezes quase o chamando de burro, afinal é dificil ficar o dia todo acompanhando a agenda dele e nao falar bem e não falar mal.

    O transporte público será pessimo durante muitos anos, pois o principal não foi feito, rever as concessões com as empresas de ônibus, ponto. Wif-i no bus, legal, mas ainda é desnecessário, tem outras coisas mais importante. Na minha visão o maior erro do Haddad é não entender que existem 2 São Paulo, a do cotidiano de trabalho e aquela após o horario do Rush, afinal será que vc iria parar seu carro/moto no farol vermelho as 23:30 em algum ponto da cidade (sem movimentação) para levar uma bala na cabeça? É bacana andar de Bike numa ciclovia no meio do nada sem iluminação que atravessa 2 ou 3 favelas sem policiamento?

    Bem Haddad pra mim está nos 50% de erros e acertos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a crítica sobre a necessidade de revisão das concessões das empresas de ônibus. Isto é uma máfia.

      Obrigado pelo comentário Fabrício.

      Excluir
    2. Infelizmente não é apenas isso a parte da Mafia, tem coisas que não podem ser escritas aqui, senão ninguém zelaria por minha segurança ou de outros que também conhece a "cozinha da prefeitura e das subprefeituras". A redução de velocidade é originalmente uma contra resposta a recusa de ser instalar "pedágio" urbano na cidade, o crescente aumento de radares não é pra evitar acidentes, mas aquisição de caixa e falta de comunicação entre a prefeitura e a secretaria de segurança pública.

      Nunca fui a favor ou contra um ou outro administrador desta cidade, pois como digo, eles são mais uma figura representativa, a prova disso é o povo discutindo sobre o que ele fez de certo e errado enquanto os parlamentares estão votando nas escondidas o aumento de salario nos cargos municipais etc.

      Tem muito que ser visto na ADM da cidade, mas eleitor é eleitor vota na "figura" e não nos executores.

      Excluir
    3. Boa Fabricio Bomjardim! Bem dito!

      Excluir
  8. Ótimo texto! Haddad é a melhor gestão da história de São Paulo.

    ResponderExcluir
  9. Ótimo texto! Haddad é a melhor gestão da história de São Paulo.

    ResponderExcluir
  10. Ótimo texto! Haddad é a melhor gestão da história de São Paulo.

    ResponderExcluir
  11. Devemos nos atentar que essa pesquisa foi feita por um tal "instituto Paraná" e publicada na revista Veja...
    Não vejo o Haddad nesse fundo de poço, acho que ele começa a campanha mal, porém não podemos esquecer que ele tem a máquina governamental e sua excelente retórica como grandes armas, creio que com esforço ele consegue uma reeleição.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Usar a máquina governamental para se reeleger? Isso não é, tipo, ilegal? Affff...

      Excluir
    2. Usar a máquina governamental para se reeleger? Isso não é, tipo, ilegal? Affff...

      Excluir
    3. Usar a máquina governamental para se reeleger? Isso não é, tipo, ilegal? Affff...

      Excluir
  12. Concordo com o Samuel, sabemos que a situação é muito complicada, mas este instituto não [é digno de muito crédito.. Vejam esta tremenda bola fora.

    .http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/pesquisa-do-instituto-parana-aponta-aecio-na-frente-de-dilma-54-a-46-dos-votos-validos-nesta-quinta-saem-ibope-e-datafolha/

    ResponderExcluir
  13. Ótimo texto. É uma pena que a mentalidade da cidade ainda não está preparada para uma gestão do tipo.

    ResponderExcluir
  14. Otimo texto. Sobre a questão da velocidade da marginal que virou um drama, é uma questão matemática.

    http://www.mobilize.org.br/noticias/8503/a-logica-das-marginais.html

    Parece contraintuitivo que reduzir a velocidade máxima aumenta a velocidade, mas é pq os carros não andam como uma massa única a 70km/h e com cada carro a 30cm um do outro. O mundo real tem distancia entre carros mudando de acordo com a velocidade, tempo de frenagem e reação, acidentes...

    Já trabalhei num prédio da Marginal próximo ao shopping Villa Lobos. Era um horror de perigoso os carros passando a 70km/h a 1m de você andando numa calçada estreita e sem proteções. Todos morríamos de medo andando da estação Cidade Universitária até o prédio da empresa.

    Numa segunda-feira chegamos lá e havia uma mancha enorme de sangue. Um carro em alta velocidade subiu a calçada e esmagou mãe e filha contra um muro, caso ficou bem conhecido.

    http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,motorista-invade-calcada-atropela-e-mata-mae-e-filha-em-frente-a-shopping-em-sp,774336

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante análise sobre o tema. Obrigado Daniel.

      Excluir
  15. "Choque de modernismo"? Pintar Sao Paulo toda com as ciclolixos sem planejamento(como o proprio secretario dele admitiu) eh choque d modernismo?
    Ele pensou em qual coletivo? Só em quem anda d bike. Nao vi melhora no transporte publico q continua d pessima qualidade, lotado. Imagina se 00,1% d pessoas deixassem o carro em casa e fossem andar d onibus. Imagina o caos q seria com os onibus ja lotados.
    Martaxa criou taxas para tudo e sua maior obra alagou na primeira chuva.
    Ninguem larga o conforto pra sofrer(a nao ser q vc seja masoquista), ninguem vai largar o carro pra andar d bike por muitos km ate chegar ao trabalho. Poucas pessoas trabalham perto d onde moram - O proprio Haddad usa as ciclofaixas d vez em nunca apenas como marketing, ele nao as usa d fato.
    Reduçao da velocidade nas marginais, pra que? industria da multa É CLARO.
    Eu, vc e toda populaçao só vamos deixar d usar carro o dia q o transporte publico for d primeira qualidade. Aí sim vc poderá dizer, caso a populaçao ache ruim, q o povo só pensa olhando pro proprio umbigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu troquei o carro pela bicicleta para muitas atividades. Isso não me faz sofrer, pelo contrário: é econômico, faz bem para a saúde e emagrece... O que você chama de ciclolixo eu chamo de obra que aproveitei para melhorar a minha qualidade de vida. Ah, e como "o povo só pensa votando no próprio umbigo", meu voto é do Haddad!

      Excluir
    2. Priscila, vc mora e trabalha onde em Sampa? Vc é uma das que não assumem que o umbigo realmente é seu próprio. Além de ciclovias e ciclofaixas, o que mais o Gato Skatista Pintor Ciclista Pichador Guitarrista Jardineiro Carolo Tartaruga fez para Sampa e sua população? Quantas creches? Escolas? Hospitais? Você já foi olhar o plano de governo original e quanto ele realmente vai entregar?

      Vc precisa pensar na cidade como um todo e não apenas em transporte...

      Excluir
    3. Eu fiz o mesmo. No começo eu pedalava de 20 a 30 km por dia, hoje consigo fazer mais de 100 km sem parar. Os benefícios para quem anda de bicicleta diariamente são tantos; raramente fico gripado, mesmo andando na chuva quando ela resolve dar as caras, tenho pernas muito mais fortes do que muito marombeiro de acadêmia, por sinal, eu não preciso de acadêmia e provavelmente chego nos meus compromissos antes do que a grande maioria que está de mimimi pelas obras do prefeito. Meu voto é do Haddad!

      Excluir
    4. Moro a 10 km do meu trampo e vou todo dia de bike!!! Mudou minha vida. Inclusão das transexuais nos programas sociais foi outro ponto positivo! Meu voto é Haddad, independente da merda do PT, com certeza!!!

      Excluir
    5. Discordo parcialmente do texto. Não tenho carro, uso transporte público e moro na zona norte. Minha vida não melhorou. Desde o segundo semestre de 2013 tenho que sair meia hora mais cedo de casa devido a "reorganização" dos ônibus na região. Nunca vi a cidade tão suja. Além disso o comercio irregular na região aumentou consideravelmente, além da utilização das calçadas por bares e "restaurantes".

      Excluir
  16. Ah e ainda citaram o já derrubado argumento das 'ciclofaixas supervalorizadas' da Veja SP. Galera precisa se atualizar.

    E precisa de matemática também, já que 0,1% largando carros pra ônibus nem afetaria em nada o sistema.

    Sobre redução de velocidade da Marginal, leia o comentário dos coleguinhas antes de reclamar.

    Sobre o pensar no coletivo, é o que a gestão mais tem feito. Aliás, ninguém mais lembra do aumento dos corredores de ônibus no começo da gestão que choraram absurdamente, que aumentou a velocidade média dos ônibus (e portanto a vazão de pessoas, não de veículos). Ninguém lembrou pra dizer 'o prefeito/CET tinha razão'.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O mesmo serve para o bilhete único mensal...

      Excluir
  17. Acho que a pesquisa não reflete a realidade, é evidente que a mídia joga contra Haddad, mas basta observar como ele estava nas pesquisas na época da eleição, bem abaixo e acabou vencendo.

    Acredito que ainda possa se reeleger, será difícil, principalmente com a entrada da Marta que pode lhe tirar votos no primeiro turno.

    Bruno Maceté

    ResponderExcluir
  18. Assim como o Samuel, acho que quando a campanha realmente começar, esses números vão mudar bastante. Russomano tem pontos fracos que já foram explorados na eleição anterior e o fizeram perder. Datena é tão ridículo que não se sustentaria entre os grandes. Acho que nem sai candidato. E o atual prefeito, além da máquina, já citada, tem as próprias realizações do seu mandato que são mal divulgadas. Quando forem mostradas e exploradas de forma competente pela campanha eleitoral, creio que ele voltará a ser um candidato forte. Se vence ou não, é outra estória.

    ResponderExcluir
  19. Parabéns pelo texto. Eu pego ônibus todo dia moro no liviero em SP proximo a SBc e trabalho no paraíso demorou no máximo 1h de transporte público ou 1h de bike.ainda não uso a bike pretendo comprar. Mas uso os corredores que não tinham e vejo as melhoras no bilhete único e na qualidade dos ônibus.. Que melhorou muito.

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pelo texto. Eu pego ônibus todo dia moro no liviero em SP proximo a SBc e trabalho no paraíso demorou no máximo 1h de transporte público ou 1h de bike.ainda não uso a bike pretendo comprar. Mas uso os corredores que não tinham e vejo as melhoras no bilhete único e na qualidade dos ônibus.. Que melhorou muito.

    ResponderExcluir
  21. Discordo parcialmente do texto. As medidas anti veículos são ideais em qq cidade do mundo com transporte público eficiente e de qualidade. Infelizmente não é o caso de SP, onde as pessoas esperam horas por uma condução e quando ela chega andam espremidos como sardinha em lata. Antes de restringir o uso de veículos é necessário muito investimento por parte do Estado e do Municipio em transporte público. Enquanto isso entendo q à população restam apenas 2 alternativas. Mudar-se para perto do trabalho ou ter carro. Já em relação às restrições impostas aos finais de semana, essas sim beneficiam a população neste momento pois trazem opções de laser e não causam severos prejuízos àqueles q precisam se locomover, já q nesses diasé mais fácil utilizar ônibus, trem e metrô

    ResponderExcluir
  22. Para mim o Político que tira da educação para investir em outra área , tem qué ser cortado pela. raiz. Com certeza está árvore não dará bons frutos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia as definições de mobilidade urbana e sua relação com a educação. Você vai se surpreender.

      Excluir
  23. Não quero frustrar ninguém, mas meu voto será para o Haddad. Por quê?
    Porque ele está lidando de forma firme e consistente contra a máfia (isso mesmo!) dos transportes coletivos.
    Porque a redução de velocidade em vias expressas é, no meu entendimento, uma forma de educar os motoristas despreparados e arrogantes que o Detran insiste em habilitar - não se esqueçam da margem de tolerância (20%) para aplicação de multas.
    Eu, que nunca quis comprar um carro, me vi obrigada a fazer isso em 2010 porque minha outra alternativa era gastar mais de uma hora no trânsito da cidade. Não vejo a hora do prefeito fazer mais ciclovias e afins para que eu possa ir de bicicleta ou a pé (1 hora de caminhada) até o trabalho por uma via segura.
    Sinto, sim, as mudanças: uso carro, o transporte entre casa-trabalho-casa não é o melhor, mas ainda acredito que esta situação pode ser o início de grande melhora em nossa cidade.

    ResponderExcluir
  24. metrô que é bom ninguém fala né?
    o protegidinho da mídia tá aí há 24 anos!!! e só 3 linhas de metrô!!!
    transporte de massa de longa distância não é ônibus, é metrô!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi gui. Obrigado pelo comentário. Concordo em parte contigo. Acho sim que ônibus tem tanta importância quanto metrô. O que não entendo é porque eles não são geridos por um único órgão, uma vez que a função dos dois é a mesma, transportar pessoas.

      Excluir
  25. Estão com saudades dos incompetentes e corruptos Kassab, Maluf, Pitta, Serra, eu não? Prefiro o Haddad que é dez vezes melhor do que todos eles juntos...

    ResponderExcluir
  26. Pra mim o pior prefeito que São Paulo teve!
    São paulo está atrasada,ninguem aqui é contra ciclovias.mas que sejam estruturadas e bem feitas,Na Paulista e anhaia Mello são exemplos de boas ciclovias.
    Nenhum paulistano é a favor de andar só de carro.
    Mas tenhamos um transporte publico de qualidade como qualquer metrópole deve ter,Logicamente não julgo somente a prefeitura,Esse banana de Governador nada investe nesse aspecto.
    Tudo muito lento,o Haddad não tem perfil de prefeito.
    Um prefeito tem que ter visão,trabalhar em todas instancias.Faz tempos que não temos isso em Sao Paulo,infelizmente.
    Em quanto pessoas pensarem pequeno como esse comentário jamais sairemos dessa cidade mal organizada e cheia de favelas,ladrões por todas as partes.
    De que adianta o povo andar de bicicleta e trabalhar 50 km de sua casa.....
    Nenhuma cidade avançada tem esse tipo de cliclovias,é preciso analisar antes de tecer esse comentário.
    Fez muito pouco e não ganha nem pra ser pizzaiolo.Merece estar em ultimo lugar!Pessimo dos Péssimos.

    ResponderExcluir
  27. Já vai tarde esse prefeito já mostrava sua incapacidade de gestor quando ministro, como prefeito é uma calamidade. Só pontuando que essa é minha opinião é mesmo levando em consideração algumas poucas iniciativas plausíveis a gestão é péssima como um todo.

    ResponderExcluir
  28. Já vai tarde esse prefeito já mostrava sua incapacidade de gestor quando ministro, como prefeito é uma calamidade. Só pontuando que essa é minha opinião é mesmo levando em consideração algumas poucas iniciativas plausíveis a gestão é péssima como um todo.

    ResponderExcluir
  29. Eu adoro ler textos bem escritos com opiniões divergentes da minhas, pois assim mudo, moldo ou fortaleço minhas convicções, mas no caso desse texto, que vi compartilhado em uma outra rede-social foi um caso raro de texto bem escrito e que coaduna integralmente com minha maneira de entender a gestão Haddad. Por isso não pude me furtar a compartilhar e desejar que mais pessoas leiam e problematizem esse assunto... Obrigado e parabéns pelo blog. Certamente, irei ler mais coisas daqui.

    ResponderExcluir
  30. Obrigada pela reflexão madura . Além do transporte público citado , discutir o medo com mais realismo é questão de lucidez: não se tem medo por frescura ou burguesia. Trata-se da violência no meio da multidão ( assalto assédio abuso sexual ) e do trânsito pesado e agressivo ( bicicleta ? Até chegar ao circuito o risco de ser morto por qualquer carro ou ônibus é grande para quem como eu manda bem mas está longe de ser atleta- é até pra atleta ...,). Adoro bike, reconheço a mentalidade do coletivo ( perfeita leitura) e lamento a solução aparente que deixa pontas ( ainda). Queria muito ir de transporte público sempre. Não considero possível diariamente. Metrô e ônibus melhorando - como temos em países de mentalidade "não Paulistana", também ajuda a mudar por causa e efeito. Qualquer suíço numa selva paulistana vai escolher carro . Por que é burguês egoísta consumista ? Porque coletividade com decência deixa o cara tranquilo no trem e metrô de lá , e instinto não suicida é sadio. Sou mulher. Tenho 3 filhas. A onda aqui vai além do perigoso né?

    Já a redução da velocidade na Marginal é risível é ridícula . Claro que traz grande transtorno a cidade toda - e não protege "os milhares de pedestres" dali ( só rindo). A Indústria de multa é óbvia . Cansaço de abuso e restrição utilitarista ( pra quem ?) . Boa matéria , agradecida .

    ResponderExcluir
  31. Gostei do texto. Só penso que a mídia (qualquer mídia, main stream ou alternativa) incorre sempre no mesmo equívoco: confiar demais em sua bola de cristal.. faltando mais de 1 anos para as eleições, e ja começa o "já ganhou" ou o "ja era".. e me lembro bem, desde minha primeira participação em eleiçoes, (no já longínquo 1982) é sempre a mesma atitude, e o jogo sempre virando, às vezes já bem antes das eleições, às vezes em cima da hora..
    Repetindo: gostei do texto e de suas reflexões, mas nao vou comentá-las. Meu comentário aqui é sobre a futurologia... isso nao existe.. nao a 15 meses das eleições.. fica entao minha crítica construtiva à sua louvável iniciativa. Um abraço.

    ResponderExcluir
  32. gostei do texto, porém no final vc questiona oq fazer para ser reeleito. O Haddad nunca buscou a reeleição! Ele já falava desde o início da sua gestão q estava governando pelos 4 anos e não pensando em fazer oq fosse necessário para ficar 8. Então ele vai continuar fazendo oq fez até agora, pensando no coletivo e buscando deixar um legado bom para a cidade. Oq for possível fazer em 4 anos ele fará.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não disse que o Haddad busca a reeleição... O que eu acho é que ele pode sofrer algumas pressões para mudar sua forma de governar para ter alguma chance na eleição do ano que vem... E ele não deve fazer isso... No cenário atual, com este ódio que boa parcela da população tem em relação ao PT, nada que ele fizer o dará alguma chance de reeleito... Ele deve aproveitar este 1 ano e meio de mandato para continuar as mudanças que está fazendo. Sabe-se lá quando a cidade terá outro prefeito com esta postura.

      Excluir
  33. Concordo vom ad bicicletad(amo bike) max o q adianta se não temos segurança?? Mad o q realmente mecassustou foi a lista dos próximos candidatos. É o fim de são Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A segurança não seria um dever do governo do estado? Não da prefeitura?

      Excluir
  34. O individual é inseparável do coletivo, seja nas ruas ou nas fronteiras europeias. Uma hora ou outra, a fatura da negligência ao todo chega em seu nome.

    ResponderExcluir
  35. Sinceramente não acho que será um político e nem um papa que irá melhorar a situação insuportável que são paulo apresenta hoje. Nasci aqui, já morei na zona norte, centro e zona sul, a cidade é doente, as pessoas são ensandecidas, não são só consumidoras como o texto diz, são agressivas e cruéis, atormentadas de tanto estresse, doentes. Você acha que consegue se acostuma com toda essa situação? Não, nunca vai se acostumar, vai fazer de tudo apenas para "sobreviver", como o próprio texto diz, sobreviver no pior trânsito do mundo, no pior transporte coletivo que uma cidade de 30 milhões de habitantes pode oferecer, na super concorrência que essas 30 milhões vão lhe apresentar no dia a dia, seja no mercado de trabalho, seja na rua, ou em um simples passei ao shopping ou na fila da padaria. Enfim, como paulistano que já conheceu diversas culturas mundo a fora, com tal populações maiores ou menores que a nossa, afirmo que aqui nunca houve nenhum planejamento urbano. Lavaram as mãos aqui, deixaram tudo crescer de forma medonha e desorganizada, roubaram, enrolaram e abandonaram a maior cidade da América Latina na mão de Deus, exemplo são às obras abandonadas de metrô por toda a cidade, além das que estão começando e que jamais terminarão, e todas as outras obras financiadas com nossos impostos altíssimos e nosso custo de vida quase inacreditável.
    Por isso tudo e muito mais, um simples político ou cidadão jamais dará conta de se quer amenizar nossa situação, seja ele quem for. Ir embora daqui é um acalento para alma, um fôlego de esperança, façamos sempre que possível! Até o dia que pudermos ir embora para sempre. Que Deus esteja com São Paulo pois o homem já não tem mais ação aqui.

    ResponderExcluir
  36. Concordo com o conteúdo, e quem está falando que o transporte público de ônibus não melhorou, desculpa não anda de ônibus nunca! Ainda tem ônibus velhos? Sim tem, mais hoje a maioria são ônibus super modernos e maiores, em dias de calores ou quando está muito lotado por exemplo, os ônibus mais alto a circulação de ar é maior o que diminui o calor e cabe muita mais pessoas. Fora os quem tem ar condicionados.
    De 2007 ano que comecei a pegar ônibus para o centro, até 2012 houve algumas melhoras sim em outras gestões, de 2012 até hoje a melhora é quase 100%.
    Hoje demoro cerca de 40 minutos para sair do terminal campo limpo até a Faria Lima, em 2007 era quase 2 horas.

    Sobre a periferia me desculpe, eu moro no Taboão da serra e hoje os Ônibus estão destruídos porque a própria população destrói. Um exemplo claro é os novos pontos de ônibus que são bonitos, estilo europeus, na região central estão intactos ou bem poucos danificados, já na periferia, basta andar por toda extensão da Estrada do Campo Limpo que vão verificar, tudo pinchado ou arranhados, e não venham falar que isso é para GCM ou policia Militar cuidarem, isso se chama educação e cuidar do patrimônio publico. Eu gostaria que as empresas ou pessoas que colam aquelas cartazes horríveis sejam punidas, lá tem o telefone e endereço das empresas, então é facial identificar e punir, por exemplo se eu bato em poste eu devo pagar pelo mesmo, então que façam os mesmos com os pontos de ônibus, de inicio começa a punir empresas, depois uma fiscalização para as pessoas físicas.
    Tudo o que é novo e vai para a periferia é destruído por uma minoria de delinquentes que acha bonito pinchar ou destruir, não refitem!
    O Estado tenta o desenvolvimento para todas as regiões, mas tem uma minoria que destrói tudo, isso é lamentável, até mesmo em alguns ônibus novos já estão com as janelas rabiscadas.
    E o prefeito implantou uma ideia, as falhas nas ciclofaixas na minha opinião é de quem planeja e executa as obras em sim, há uma grande diferença de implantar a ideia e de quem executa as mesmas. Hoje creio que as mãos de obras estão apenas pintando algumas faixas vermelhas, sem analisar que tem buracos ou paralelepípedos na extensão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cadê as escolas para educar a população? Pois é... gerir uma cidade é complexo e não pode ser reduzido a um item.

      Excluir
    2. Cadê as escolas para educar a população? Pois é... gerir uma cidade é complexo e não pode ser reduzido a um item.

      Excluir
    3. Perfeito texto, Wellington!
      Alguém que diz "só ando de carro pq o transporte público é um lixo" não entra em um ônibus há uns anos...
      Tá ruim? Reclama! Faz a sua parte! Se ta melhorando em algumas regiões e não na sua, corra atrás! Povo reclamão e passivo, viu.
      Só um adendo: ciclovia com buraco ou sem buraco é ciclovia. E ciclovias salvam vidas. Quero ver o que o povo que reclama prefere: andar no asfalto lisinho do lado de carros e ônibus a 60k/h, ou de boa em uma ciclovia esburacada, no seu ritmo, sabendo que ninguém vai passar por cima.

      Excluir
    4. Esse Rodrigo em cada post, ele coloca um empecilho.
      Quer falar de educação? Pois bem vamos lá!
      Você pergunta das escolas, escolas tem! Aqui em São Paulo/Tabooa da Serra na maioria dos bairros tem ou em um raio de pelo menos 2 a 3 quilômetros tem! Escola não é uma banca de jornal ou padaria para ter em cada esquina.
      E será que nessas escolas não tem professores bons? Claro que tem!
      Mas será que esses mesmos alunos respeitam os professores que serão essencial para seus futuros? NÃO!!! Não respeitam porque eles não tem a mínima educação que era para receber da sua familia, em casa. "Onde é que estão os pais? Será que estão presos na cela?Ou será que tão presos na sala, em frente uma TV assistindo a novela?
      Pensadores tentaram avisar..."(MC GARDEN).
      Ficam em casa assistindo essas mídias com informações tendenciosas que empurram goela abaixo, não buscam informações ou quando buscam é na conceituada revista Veja.
      E depois ficam por ai em bloggs falando que falta isso ou aquilo na cidade, então sai por ai fazendo uma pesquisa e verifica com a população... mas o conforto do seu pc provavelmente não deixa.

      Excluir
  37. :o Um dos textos mais precisos que já li! Parabens!

    ResponderExcluir
  38. Autor, parabéns pela argumentação. Sou paulistana e tive a oportunidade de conhecer outras metrópoles. Nova York, Londres e Paris adotam medidas semelhantes às discutidas, mas talvez não tenham problemas tão graves quanto os nossos. Engana-se quem acha que é responsabilidade apenas da administração pensar em soluções ou que haverá uma resposta milagrosa para todos os problemas que trazemos há tanto tempo de uma só vez. O processo de desenvolvimento requer boa vontade para seguir tentando acertar principalmente quando identificamos que algo podia ser melhor. Isso é a outra famosa qualidade do brasileiro: a persistência, muito lembrada naquela frase "sou brasileiro e não desisto nunca". Vejo em São Paulo a oportunidade de exercitarmos esse valor e também nossas reconhecidas criatividade e flexibilidade para sermos pioneiros em soluções que ainda não existem, pois nosso problema não é trivial. Em Londres as pessoas usam o metrô porque, sim, é muito caro e difícil usar o carro. E também entram em vagões lotados e têm hora do rush. Em Nova York o metrô é péssimo e em Paris também. E trânsito também tem por lá. Mas a consciência me parece um pouco maior que a nossa. Vi pessoas cuidando de praças como se fossem delas. Na verdade são mesmo. Mas em São Paulo o problema parece ser sempre do outro. Por isso gostei da sua discussão sobre o coletivo x o individual. Não sei se o prefeito conseguirá resolver os problemas mas gostaria de ver mais paulistanos contribuindo com o que podem. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! E lembrando que o Metrô é responsabilidade do governo do Estado...

      Excluir
  39. Sugestão: mude as cores da página pra facilitar a leitura....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi Celina, obrigado pela sugestão... estamos recebendo outras reclamações sobre esta mesma questão... este blog recebeu uma quantidade muito maior de acessos nesses últimos dois dias, estamos fazendo algumas mudanças para deixar o design um pouco mais agradável...

      Excluir
  40. Depois essas pessoas vão para Paris, Londres, Nova York, Madrid e etc, e dizem algo do tipo: "Os parques de lá são maravilhosos, é muito bom andar pela rua e você não precisa de carro".

    ResponderExcluir
  41. O problema do Haddad é que ele governa pra romanticos.
    Que acham que São Paulo é Paris.
    As medidas que ele tem tomado são romanticas e bonitinhas para quem mora bem, mas pra grande maioria da cidade, para as pessoas que moram nas periferias, e cidades anexas a cidade não está tão romântica assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, é?
      E a ciclovia Eliseu de Almeida, que liga Osasco e Taboão até o metro Butantã? Da onde saiu esse seu dado? Tem mais ciclovias na região central, mesmo. Por que adivinha onde quem mora na periferia trabalha...nesse caso, .não preciso nem discutir intermodais, que são claros. E até Paris usa.
      São Paulo não é Paris, felizmente tem potencial pra ser muito melhor se você parar de reclamar e colaborar um pouco.
      Alias, Paris ta o caos. E o povo ta reclamando de não poder mais andar de carro no centro e de ganhar dinheiro pra ir de bike pro trabalho?

      Excluir
  42. Texto pobre e que esquece que uma cidade é muito mais que transporte. O Gato Skatista Pintor Ciclista Pichador Guitarrista Jardineiro Carolo Tartaruga e eventual prefeito, governou para uma Parcela ínfima da população de Sampa. Por isso não será reeleito. Nada de moderno. Nada de inovador e muito menos de mártir. Por favor, peguem o plano de governo e vejam quanto ele realmente terminou. Vejam as creches, as escolas ou hospitais etc. Nada saiu do papel. O resto do governo dele foi de factóides e mídia, muita mídia.

    Sobre transporte o autor deve ser um dos que mora e trabalha perto. Se esquece que em qualquer cidade do mundo civilizado os modais se complementam pois fazem parte de uma rede de transporte planejada e executa para atender a todos.

    Sobre os veículos serem símbolos do individualismo e riqueza, sim! E o governo federal, do mesmo partido, incentiva e induz pessoas muitas vezes sem capacidade real de ter um carro, a faze-lo para mostrar que "agora pobre tem carro".

    Ao autor, espero que ele reflita e cobre coerência, planejamento e execução dignas de uma cidade cujo PIB é maior que muitos paises e não apenas ohe um aspecto para defender uma das gestões mais sem sentido que a cidade teve nos últimos anos.

    ResponderExcluir
  43. Não acredito que as pessoas são contra ciclofaixas. As pessoas, e ai me incluo, são contra estas aberrações feitas pela prefeitura de SP e este senhor moderníssimo, genial, que não é alcançado pelos seus pares humanos, que ainda assim, sem o poder de compreender sua genialidade, o elegeram...
    Enfim, somos contra a ciclofaixas ridiculamente projetadas, que terminam sem nenhum aviso ou no meio como é o caso da ciclofaixa da avenida Jabaquara, que se localizam em meio a buracos, com tintas que desbotam com uma chuva, sem falar em ladeiras absurdas. Defender ciclofaixas em cidades como São Paulo, cheias de ladeiras, com asfalto de terceira categoria e sem nenhum suporte ao ciclista chegaria a ser piada se não fosse de uma demagogia sem tamanho. Se furar um pneu de uma bicicleta, fazer o que? Onde estacionar? Onde tomar um banho depois de subir ladeiras intermináveis para depois poder trabalhar???
    Bem, deixemos de lado as polemicas ciclofaixas (onde, se elas um dia forem realmente utilizadas, ainda veremos muitos paulistanos sofrerem acidentes e perderem a vida, infelizmente) e vamos falar da redução da velocidade. Os carros saem de fábrica preparados para andar a 220km por hora. Vão para as estradas e so podem andar a 80, 110 e 120 KM. Para que então o 220KM? Deixemos esta incoerência para la, vamos falar de mudar o modelo de transporte. O caminho genial encontrado foi reduzir a velocidade e tacar multa no pobre paulistano. Genialmente mal compreendido. Não temos pressa, podemos esperar 30 ou 40 minutos por um ônibus que nos levará ao nosso compromisso urgente. Chegaremos la um pouco amassados sim, pois eles vem lotados e com motoristas mal humorados pela jornada abusiva a que são submetidos. Genial é diminuir a velocidade e dizer que está trabalhando pelo povo.
    Vamos falar das sacolinhas...Colocar a alternativa da sacola de papel, como era no meu tempo de moleque, nem pensar né? Proibir é mais fácil. Deixar o supermercado cobrar por algo que já estava em suas planilhas de custo é genial, não acham?
    Quem será que se beneficia com esta medida, boa no cerne, mas adotada por um bando de irresponsáveis que só querem fazer marola e, ai entra o toque de gênio: Quem será que fabrica a tal sacola que está sendo proposta? Quem irá lucrar com esta proibição?
    O paulistano comum, aquele que não compreende a genialidade do prefeito é que nao é...
    Querem mais? Faixas de onibus em ruas de apenas duas faixas, sem onibus para a população pegar, ruas eswburacadas que nem carroçãs de boi resistem, lixos na porta das casas e lixeiro passando duas ou tres vezes na semana...Podemos escrever aqui o dia inteiro. Mexsa onde realmente precisamos, mude o conceito de saude hospitalar ara saude primária que é de responsabilidade ou pelo menos poderia ser, das prefeituras. De genios como Haddad, São Paulo tem de se livrar. Queremos pessoas comuns, que andem nos mesmo onibus, nas mesmas vias que nós e nao apenas na inauguração de ciclofaixas e depois voltem a seus helicópteros...

    ResponderExcluir
  44. "Excelente" artigo.... pena que o autor nao viva na realidade....Boa intencao....

    ResponderExcluir
  45. Alguém ai conhece a rua Guaicurus na Lapa? , sabe onde fica o novo Poupa Tempo? É numa esquina, na rua Guaicurus com a rua do Curtume e sabe onde vai dar essa rua do Curtume???? em um muro, que tem por trá a linha do trem, Não sei precisar a metragem dessa rua cortada pela via Férrea, deve ser uns 50 ou 100 mts talvez, e lá foi feita uma ciclovia, agora me digam????você entra nessa rua com sua bicicleta, rua q não tem casa, de um lado é o Poupa Tempo e do outro a Subprefeitura da Lapa, ai se vc for em frente bate no muro, ou será que é estacionamento de bicicleta..!!!!?? Agora entendi!, é estacionamento de bicicleta mesmo, porque quem vai ao Poupa Tempo ou a Subprefeitura da Lapa, provavelmente vai de bicicleta!!!!

    ResponderExcluir
  46. Gostei do texto, E DOS COMENTÁRIOS, em especial os que contestaram; bons contra-argumentos. Coisa rara na internet.

    ResponderExcluir
  47. Que texto maravilhoso. Parece que você me psicografou. Só faço 1 adendo: Se o Haddad fosse o Governador e o Alkmin fosse o prefeito: as ciclovias seriam o símbolo do modernismo e vanguardismo de Sampa. E a falta de água, o trensalão e o atraso da linha 4 talvez contassem com a devida revolta da população. A cegueira aqui é única e exclusivamente política. Além, claro, do conservadorismo mais que exacerbado. São Paulo precisava de mais gente que vive "à frente de seu tempo".

    ResponderExcluir
  48. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....só rindo mesmo!!!!!!!. Não tem como defender um ser que diz estar cheio de boas intenções (o inferno tá cheio). Quando viajo prá outros países, só ando a pé, de bicicleta, de ônibus, trem ou metrô... porque existe condições prá isso. Outros países pensam na população. Investem na segurança, no transporte público, na educação e na saúde. Minha sogra que mora em Portugal, ela refere-se à médica do Posto de Saúde como "minha médica". Meus sobrinhos tem a melhor educação em escolas públicas e podemos andar a qualquer hora do dia ou da noite com liberdade e sem medo de sermos assaltados a cada esquina. Aquí, eu gostaria muito de usar um transporte público (a cada 2 ou 3 anos uso e nunca tem uma mudança). Acho que tem mais de 30 anos que pago plano de saúde. Depois da 18:00 hrs não saio mais de dentro de casa. Gente.............que vida é essa????. Entra fulano dizendo que vai fazer e acontecer....sai o fulano e nada aconteceu. Ah...aconteceu sim!!!! Nosso trânsito piorou. Nosso transporte público não alterou. Nossa saúde pública continua a mesma. Nossa segurança piorou...e muito!!!!. Imagina eu saindo de bicicleta do Ipiranga e indo prá V. Mariana.....SOCORRO!!!! só tem ladeira.
    Sr. prefeito, srs. deputados e vereadores, ao invés de colocar mais não sei quantos acessores (prá fazer porra nenhuma) vão prás ruas ver as necessidades e dificuldades dos cidadãos que votaram nos senhores. Andem a pé, de bike, ônibus, metrô. Visitem escolas públicas, Centros de aúde e Hospitais. Caminhem a pé em vários horários do dia e da noite.
    Vejam as merdas que a engenharia de trafego faz (ou não faz). O semáforo do Viaduto da Santo Amaro segura o trânsito que sai da Trancredo Neves mais de 40 minutos pela manhã. Que tal um retorno inteligente prá acabar com esse suplicio de mais de 30 anos?
    Citei um lugar, mais existem muitos outros. Gastaram uma verdadeira fortuna prá fazer um viaduto da Av. do Estado prá Marg. Tietê, mas esqueceram de aumentá-lo um "tiquinho" mais e resolveriam o problema do mega congestionamento prá cruzar a Santos Dumont...e assim vai!!!
    São todos iguais...Estou com sessenta anos e não vou ver nada melhorar. Todos vão pensar em seus próprios benefícios, em seus familiares e amigos, e como são somos nem uma coisa nem outra...ficaremos assim...à mercê do bel prazer deles!!!!

    ResponderExcluir
  49. Parabéns pelo texto João! Admiro seu bom senso.

    ResponderExcluir
  50. Olá, entendo sua preocupação com esse processo. Até concordo em muitos pontos, mas creio ser precipitada sua indagação. Imagino que não seja sua intenção mas no final parece que você já crava a derrota de uma candidatura que ainda nem aconteceu. ("[Haddad] deve esquecer a eleição do ano que vem e pensar em como a história se lembrará dele.").

    Apenas por curiosidade fui no google e pesquisei por 'intenção de voto prefeitura sp' no período de janeiro a junho de 2012. Deixo aqui o link para uma matéria de maio desse ano, apontando Haddad com 3% de intenção de votos. Link: http://eleicoes.uol.com.br/2012/noticias/2012/05/09/com-3-das-intencoes-de-voto-haddad-diz-que-eleitor-nao-esta-atento-ao-processo-eleitoral.htm

    Vou favoritar seu blog.

    Abs!

    ResponderExcluir
  51. Gostei muito do texto, mas o que me surpreendeu mais foram os comentários!
    Finalmente um blog onde a maioria das pessoas expõe suas opiniões com respeito, bom senso, uso da razão e se preocupam minimamente com o uso correto da lingua portuguesa!

    ResponderExcluir
  52. Não li TODOS os comentários. São muitos. Mas li alguns e o texto todo. Excepcional. Os comentários são muito bons. Muito respeito e debate sério. João, você precisa melhorar o Blog (não o conteúdo) para atingir mais pessoas. Indico organizar o layout. Peço que coloque um texto sobre você. Não achei.

    Continue assim.
    =D

    ResponderExcluir
  53. Concordo plenamente com o texto.
    A elite brasileira não está preparada para a cidadania plena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem não faz parte da elite também não está. Cidadania se adquire com maturidade de democracia, com respeito as opniões alheias, com posicionamento político e manifestações. O Brasil começou a engantinharnos ultimos anos.

      Excluir
  54. A crítica é fácil...critica-se por tudo, por fazer e por não fazer; não elegemos políticos por partidos, mas sim, por idéias e estas estão confusas ou não claramente expressas e o povo acha que sabe votar. Não, ainda não aprendeu direito - e não o faz porque pensa de maneira limitada, ainda mais quando não se inteira de maneira profunda sobre a intenção de quem governa. É muito importante que saibamos que as ações que o prefeito Haddad executa visam a melhora da cidade e não os cidadãos isoladamente.

    ResponderExcluir
  55. A crítica é fácil...critica-se por tudo, por fazer e por não fazer; não elegemos políticos por partidos, mas sim, por idéias e estas estão confusas ou não claramente expressas e o povo acha que sabe votar. Não, ainda não aprendeu direito - e não o faz porque pensa de maneira limitada, ainda mais quando não se inteira de maneira profunda sobre a intenção de quem governa. É muito importante que saibamos que as ações que o prefeito Haddad executa visam a melhora da cidade e não os cidadãos isoladamente.

    ResponderExcluir
  56. Sou ciclista mas...

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=796192737110730&set=a.405862446143763.94303.100001600331630&type=1

    ResponderExcluir
  57. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  58. Isso é uma balela. Nada disso pode existir antes de educar. O que adianta pintar faixa sem antes explicar e incentivar a população ou disponibilizar as bicicletas? Que adianta o corredor de ônibus sem antes acabar com a máfia das empresas de transportes e brigar pra que não haja excesso de linhas fazendo o mesmo trajeto e raras linhas pra quem está afastado e mais precisa? Ficam falando de excesso de carro, mas o IPI reduzido fortaleceu mesmo foram as motos, pois pode-se evitar o péssimo transporte público por apenas 100 reais por mês. Para as motos, nenhuma regra nem punição. Não chamo de sério nenhum governante que não aplique regras para o convívio de carros e motos nesta cidade. Vamos falar de transporte público. Aqui temos um monte de ônibus lotados e por muitas vezes grandes demais para as ruas em que circulam, um projeto criminoso de monotrilho que não serve pra nada, metrô menor que Buenos Aires e táxis caríssimos. Lá fora além de ônibus e metrô, tem pequenos trens urbanos, estações de bicicletas por toda a cidade e carros elétricos disponíveis pra andar. Ele é tão moderno? Então por que não investe em educar a população antes de executar a obra? Por que não impede a circulação de caminhões durante o dia na cidade? Por que não retira os carros velhos de circulação que não pagam imposto? É tão moderno? Então por que não evita a mutilação desenfreada das áreas verdes da cidade pra construção de mais prédios? Por que não investe em melhorar o trânsito simplesmente fazendo que os semáforos funcionem em sequência? É tanta coisa que vem antes de pintar faixa e diminuir velocidade que não defendo esse cara por nada. Ele quer mesmo é aparecer, como todos os seus colegas de profissão.

    ResponderExcluir
  59. Acho que o Haddad, quando recebeu um grande apoio da população, entre ano passado e esse ano, em relação às ciclovias e corredores de ônibus, resolveu extrapolar, achando que tudo o q fizesse teria apoio e as medidas atuais o prejudicaram. Ele começou sumido, ficou o 1º ano sem aparecer nem mostrar nada, morno. No 2 ano, fez grandes avanços, eu (que votei nele) tinha orgulho e até mesmo o elogiava. Mas para que obrigar os paulistanos a comprarem sacolinhas ¨diferentes" no mercado, onde na minha rua (que é na região central) passa apenas o caminhão de lixo e joga todas as sacolas para serem trituradas no caminhão, independente da cor? Ciclovias eu apoio, e não acho válido criticar até o fim do mandado, pois ele prometeu interligar elas... mas reduzir a marginal usando como base estudos de cidades pequenas? Por favor, é apenas para arrecadar dinheiro, eu andando pela pista local na Marginal olho mais para o velocímetro (para não ultrapassar 50km, o q é muito fácil, pois a pista foi projetada para isso) do que para o trânsito... ficou perigoso dirigir por lá. E outra, desde quando uma prefeitura tem mais estudo e conhecimento do que os conselhos federais de trânsito, que estudam e analisam dados a nível mundial para definir velocidades em código válido para todos os estados? Gastou demais e deixou um rombo muito grande, agora precisa que alguém pague por isso, no caso os motoristas. Se o asfalto fosse bom, os semáforos e iluminação pública funcionasse...
    Quando falamos de Haddad, o assunto é apenas trânsito e transporte... ele parou todas as obras para apenas isso. Cadê as creches prometidas na campanha? E o problema da iluminação pública q era fácil e ele resolveria no primeiro ano, como disse inúmeras vezes em debates? Programas habitacionais, cadê?
    A verdade, é que ele foi apenas mais um político comum... parecia ser diferente, mas prometeu muita coisa e cumpriu apenas algumas. Como trabalhou praticamente apenas no transporte, aparenta ter sido um grande visionário, mas olhem as demais áreas que ele não fez praticamente nada (segurança, saúde, educação) além de reduzir os investimentos... ele foi apenas um político comum, atuou em apenas uma área e merece não ser reeleito, para dar o lugar a alguém que lembre-se que a cidade não é apenas transporte.
    Teve melhorias, mas apenas no transporte e em minha humilde opinião, a cidade não é apenas transporte. Nas demais áreas, tudo o q ele prometeu, não cumpriu.

    ResponderExcluir
  60. Sempre existirá a periferia em São Paulo enquanto todo o resto do país estiver em condições piores, pois mesmo que se tornasse uma cidade de primeiro mundo novos imigrantes surgiriam. Não é a toa que exista um movimento sem teto, afinal não é isso que eles vieram fazer aqui, buscar uma condição melhor? Mas não falta só teto pra eles, falta educação pra se inserirem no mercado de trabalho, falta saúde pra poder correr atrás da dignidade. Mas não, o abandono desses elementos fundamentais no Brasil inteiro facilitam o crescimento desordenado quando quando a vantagem econômica. Gosto da coragem do prefeito e esperar que ele vença o lob da indústria automobilística sozinho que é utópico, mas fico feliz que tenha introduzido a cultura do ciclismo, de alguma forma tinha que começar mesmo que precariamente em certos pontos. Nem entro na questão da segurança e da Educação, pois compete ao Alckmin que está há tanto tempo e piorou a situação de policiais e professores (vamos lembrar da maior greve de professores história esse ano e também da greve que pôs policiais civis e militares em confronto em frente ao palácio do governador ). Não há coletividade em São Paulo, talvez nem no ser humano, mas um pensamento é comum ao paulistano, se houvesse metrô a maioria deixaria o carro em casa, mas logo entraria em conflito se houvesse pedagio urbano para carros e a arrecadação fosse investida em metrô. É tão absurda a mentalidade do paulistano que no final,sendo a maioria do eleitorado no Estado, ainda reelege o governador que teve todas as oportunidades para fazer a cidade evoluir anos à frente da realidade do transporte que vivemos hoje. Somos esquizofrênicos, logo tudo pode acontecer nessas eleições, até mesmo pôr o Datena lá.

    ResponderExcluir
  61. Não pude ler todos os comentários, mas vi que vale ressaltar que entre as implementações de projetos urbanos, que não se resumem em faixa exclusiva para ônibus e ciclovias, houve a mudança do plano diretor que entre diversos pontos já prevê o estímulo da criação de pequenas zonas de concentração de comércios e serviços nas periferias, visando aproximar o trabalho para aqueles que moram longe dos atuais pólos de serviços. Contribuindo também com a mobilidade urbana.
    A mudança do Plano Diretor e do Zoneamento feita com profissionais de excelência, agregam um valor imensurável para o futuro da cidade!

    ResponderExcluir
  62. Acho que ele seria um excelente prefeito para Santa Bárbara D'Oeste. Ciclovia é bom? Sim. Numa cidade grotescamente gigante como São Paulo, só faria sentido em alguns pontos da cidade. É hilário ver ciclovias na Zona Sul ocupando uma faixa que poderia ser de carro ou estacionamento e NINGUÉM as utilizando por uma simples razão: quase todo mundo trabalha longe de onde mora. Por isso a sua análise que as pessoas idolatram carros está equivocada - muitas vezes é necessidade. Já a redução da velocidade numa via EXPRESSA, que corta uma das maiores cidades do mundo, mostra mais uma vez uma boa tentativa de mostrar trabalho, só isso. Haddad numa cidadezinha de interior faria um sucesso tremendo. Em São Paulo não, que vá e não volte.

    ResponderExcluir
  63. Eu acredito que ele tem boas idéias, é um cara visionário, porém tomado por extremismos e um pouco de megalomania.
    O problema foi seu exagero em colocar em prática suas visões, vejo o Haddad como visionário, porém caso não tivesse sido extremista teria tido mais sucesso em seu mandato e possível reeleição.
    Acredito que o que faltou ao prefeito foi um pouco de meio termo.
    Se tivesse implantado seus planos em doses homeopáticas talvez teria sido mais útil e não causado tanta revolta. Toda mudança brusca é difícil, principalmente numa cidade como São Paulo.
    Lugares que possuem apenas uma mísera linha de ônibus que passa de hora em hora, não tem necessidade de faixa de ônibus, uma via de expresso rápido não precisa descer a velocidade para 50 km, alguns lugares ciclovias mal elaboradas, não servem nem mesmo pra andar de bicicleta, isso são apenas exemplos que cito.
    Faltou dosar, faltar planejar, idéias boas, porém colocadas em prática "nas coxas", infelizmente essa falta de bom senso vai lhe custar a reeleição, e de quebra ganha minha insatisfação.
    Na verdade fico triste pois não queria um governo tucano na prefeitura, mas é o que vai acontecer, a falta de tato do Haddad entregou a prefeitura de mão beijada para o PSDB.
    Puxa vida, quanto tempo não temos um prefeito que valha a pena, eu acreditava no Haddad, acredito em partes, porém precisa amadurecer mais essa laranja para voltar a governar... Uma coisa concordo com você, coragem ele tem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas este é o ponto Danielle. O Haddad não é político. Ele é técnico. Coloca em debate e faz o que precisa ser feito. Não faz concessões. Não troca projeto por cargo político.

      Excluir
    2. Danielle Milani, compartilho do seu sentimento.

      Excluir
  64. Você fala das cidades de 1o mundo. Não sei se já usou transporte público nestas cidades... Eu já. E adorei! Respeito, organização, limpeza e disponibilidade de veículos, além de estrutura.
    Eu ando de carro de SP. Porque a estrutura do transporte público aqui é péssima!
    Se fosse como em cidades de primeiro mundo, certamente andaria de metrô, trem e ônibus.
    É mto bom ter o conforto do transporte individual, sem dúvida! Mas se houvesse opção descente de transporte público, deixaria meu carro em casa.

    ResponderExcluir
  65. Conheci hoje o blog e gostei muito. Nunca tinha lido tantos comentários inteligentes e, mesmo discordantes, respeitosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me beneficiei das faixas de ônibus durante um tempo. No corredor norte sul ajudaram muito. Considero elas uma medida de emergência, já que o metrô, o principal transporte que desafograria o trânsito, não acompanhou o crescimento da cidade. Muitas críticas sobre as faixas e ciclovias e poucas ao monotrilho que já nasce um elefante branco. Pelo tamanho que é São Paulo, o metrô deveria ser gerido pela prefeitura.

      Excluir
    2. Realmente o nível dos comentários está muito bom... Quase todos usando apenas argumentos concordando ou discordando, nada de palavras de ódio... Fico feliz que o texto tenha estimulado este debate...

      Excluir
  66. Na Inglaterra, o Primeiro Ministro vai ao trabalho diariamente de metrô ou bicicleta. É assim também em diversos outros países da Europa, de onde Haddad gosta de espelhar suas ideias. Então, porque mister Haddad não vai trabalhar todo dia de ônibus, metrô ou bicicleta? Por que não dá o exemplo ao invés de só enfiar goela abaixo suas ideias a todos, inclusive aos CIDADÃOS dentro de seus carros (sim! Há PESSOAS dentro dos carros - eles não andam sozinhos...)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você fizer uma rápida pesquisa, verá que o Prefeito queria trabalhar de ônibus e seus seguranças não deixaram.

      Excluir
  67. Li o texto que gerou todo esse debate e achei muito bom! Me fez repensar certas ideias que eu tinha a respeito de alguns pontos, porém, há ótimos contra-argumentos também! O que podemos concluir disso tudo é que não existe quem está certo ou errado! O que existe são apenas pessoas com pontos de vistas diferentes baseados na experiência que possuem como habitantes dessa cidade! Quem mora em bairros bem localizados, mais próximo ao centro, por exemplo, não possui a visão que alguém me mora na periferia e vice-versa! Porém, falta empatia aos paulistanos, se colocar no lugar de quem precisa atravessar a cidade para poder chegar ao trabalho ou até mesmo se divertir aos finais de semana! De fato somos um povo bastante individualista preocupados com o "meu" carro, "meu" bem estar, "minha" segurança, etc., precisamos olhar mais para os lados! Só conseguiremos fazer dessa cidade um lugar melhor para se viver quando juntos procurarmos maneiras de torná-la melhor para que assim possamos viver de forma mais harmônica e humana.

    ResponderExcluir
  68. Infelizmente o Haddad será elogiado daqui a 50/100 anos... vai ser história do era uma vez....utopicamente um texto seria assim: Houve um pref. em São Paulo em 2015, chamado Fernando Haddad , que pensou em revolucionar e pensar no coletivo, suas ideias foram tão criticadas :/ e os ataques a sua pessoa tão covardes Ø que ele nunca mais foi reeleito ¯\(°_o)/¯. Tinha ideias que hj em 2106 são tão banais e naturais para nossa geração que parecem piadas \o/. Por exemplo ele respeitava os ciclistas , ué hoje esse é o principal transporte na cidade! Ele respeitava a diversidade sexual ♂ ♀, hj existem famílias, partido políticos, canais de TV, sites etc. Atualmente entram em falência empresas que não tiverem áreas especializadas no público GLBT (●_•̃).♥.(●_•̃). Ele chegou ao cúmulo (naquela época era assim que se chamavam) de diminuir a velocidade ﹏ das marginais! ↕...que hj estão se extinguindo e muitas virando áreas de lazer ◕ ‿‿ ◕ aos finais de semana. Ah ele fez isso com o antigo e hoje demolido minhocão e Avenida Paulista que já foi centro comercial $$$ de São Paulo um dia. Também os humanos ●▂● daquele tempo achavam que ter um carro ⊙︿⊙ era símbolo de status! vai entender.

    ResponderExcluir
  69. Generalizou bastante no texto hein? Haddad teve boa intenção, não teve foi bom planejamento. O caso ciclovia é um absurdo, todo mundo sabe, todo mundo concorda. Só não concordam os inocentes. Não dá pra nos comparar com as cidades mais desenvolvidas do mundo, desculpe. Não temos a educação deles, que é uma base bem importante, pra começo de discussão. E nem comparar as inúmeras contribuições de Maluf para a cidade que são parte da história, de fato. Incrivelmente, até o Cidade Limpa do Kassab fez algo de importante para a cidade. Em 4 anos de gestão, alguma transformação de longo prazo tem que ser vivida e sentida por nós. Nisto o Haddad falhou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ícaro, mas o cidade limpa até que pegou, mas agora o que se vê é a Prefeitura gerenciando publicidade de bebidas alcoólicas nos pontos de ônibus e relógios das vias voltado para o público que esta dirigindo! Genial! Muito genial!

      Excluir
  70. Eu também discordo em partes do texto, meu voto não pra ele.
    Achei legal a ideia das ciclovias, mas são muito poucos os que trabalham a uma distância que dê pra ir de bicicleta, eu por exemplo, moro na zona leste, não tem como ir pedalando até a Avenida Paulista. As ciclovias melhoram a qualidade aos finais de semana apenas (pra maioria)

    Houve menos transito com ônibus? Sim, mas veja você. No meu bairro havia uma linha que ia para o Terminal Parque Dom Pedro, ele mudou a linha pro final no Terminal Carrão, logo diminuindo uma linha até o centro, melhora o transito de onibus, mas ajuda as pessoas? NÃO, agora temos que tomar 2 conduções pra chegar até o Terminal Parque Dom Pedro, isso é o exemplo de apenas uma linha no meu bairro.

    Metro, Trem e Onibus são um caos em SP, não temos transporte público de qualidade pra punir os carros.
    Em Paris o índice de poluição estava grande, houve rodízio de metade dos carros, nesse dia, quem iria de carro, não pagou transporte público afinal é pro bem da cidade, lá tem condições de andar de onibus e metro, aqui não tem. Então ao meu ver foi um tiro no pé.

    Quanto ao auxilio crack, achei legal, drogas é um problema da cidade toda, mas deveria ser gratuito apenas o atendimento, não receber bolsa por fora.
    O PT dá tantos auxilios pra quem não quer trabalhar que nós trabalhadores ficamos em desvantagem. Apoio sim as bolsas porém deveriam ter validade máxima de 6 meses como é o seguro desemprego, ninguém fica desempregado a vida toda, onde vou em marcados, lojas, padarias, tem placa de oeferta de emprego, fica sem quem não quer trabalhar.

    ResponderExcluir
  71. Embora eu não dê muito crédito para o Instituto Paraná Pesquisas (Fraldou pesquisa na eleição presidencial). Eu também não acredito na reeleição do Haddad. Não pela sua administração e sim pela atual conjuntura política.

    Uma pena que o debate sobre a cidade tenha se limitado a ciclovia e redução da velocidade nas marginais. Pois Haddad mostrou que é o maior progressista do País.

    O maior legado do Kassab não foi educação, saúde ou dobrar o valor do IPTU. Cidade Limpa foi aclamada. O mesmo kassab reduziu a velocidade na Av. 23 de Maio e não teve panelaço. E fez bem, porque os números mostram que os acidentes na via caiu desde então.

    Não é só pelas ciclovias. É pelo Plano diretor, Redução de 26 Bilhôes da dívida do Município com a União. Controladoria Geral do Município, Maior reforma da iluminação pública do Mundo, IPTU progressivo, Passe Livre para Estudantes, Programa Braços Abertos, Ocupação do espaço público etc caterva.

    Daria para elencar muito mais coisas que o prefeito aprontou na cidade. Que volte Malufs, Pittas, Serras e Kassabs para nos devolver o sentimento de paulistano da gema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato, Marcio, o novo Plano Diretor é importantíssimo e foi um grande avanço, uma das coisas mais importantes da gestão Haddad. Mas não se fala muito nele, deixando o caminho aberto para emendas nas próximas administrações...

      Excluir
  72. João, Parabéns! Eu sempre digo Haddad não foi escolha minha. Mas me surpreendeu e muito. Ele está de Parabéns e terá meu voto com toda a certeza, eu não voto por partido e sim por bons e sustentáveis trabalhos.

    ResponderExcluir
  73. É preciso lembrar de outro problema que nem a Marta conseguiu acabar definitivamente que é o fato de que o transporte público de São Paulo é controlado por uma verdadeira máfia e lidar com eles é um risco constante. E para essa turma do transporte (tenho até medo em falar deles) é perfeitamente lucrativo priorizar o individual em detrimento do coletivo.. Afinal, quanto pior for o transporte público maior é o lucro, legal e ilegal deles.
    E em quem será que essa turma vota? Eu tenho certeza que não é no Haddad.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo Bentivenha, você deixou um gancho muito interessante para comparação. Embora não tenha sido reeleita e tenha deixado a prefeitura de São Paulo sob o rótulo de "Martaxa", Marta Suplicy, na minha opinião, fez uma boa gestão. A criação dos CEU trouxe cultura e educação para as áreas mais carentes da cidade. Tenho parentes que moram na região de Capão Redondo e Jardim Ângela, extrema zona sul de São Paulo. Segundo eles, até mesmo a violência diminuiu, graças ao trabalho feito na área, voltado para cultura e esporte. Também foi na administração da Marta que foi criado o bilhete único e onde iniciaram a construção dos passa-rápido, corredores de ônibus que geraram muitas polêmicas e descontentamento, principalmente entre motoristas de ônibus, o que eu achava bastante estranho. Sua administração também não foi perfeita. Há suspeitas de corrupção e ela não resolveu de forma definitiva o problema dos transportes, mas diferente de Haddad, suas medidas foram bem planejadas e implantadas. Esta, creio eu, é a diferença entre ter boas intenções e saber aplicá-las. O atual prefeito tem boas propostas (por isso votei nele), porém, tem colocado o carro adiante dos bois ao colocá-las em prática.

      Excluir
  74. Não li todos os comentários.
    Estudo a cidade brasileira como profissão, e a conclusão de qualquer pesquisador sério é que, nos últimos 70 (ou 80) anos, fizemos tudo errado.
    Os poderes públicos, principalmente os municipais, apesar de possuírem projetistas e fiscais, simplesmente abriram mão de controlar o crescimento urbano.
    Os migrantes pobres, que chegaram em massa, fizeram sua parte, construindo uma subcidade em torno da cidade, espaço desordenado que cria caos.
    Não conheço a periferia a tal ponto para dizer o quanto melhorou desde os primeiros anos de miséria. Os imigrantes estrangeiros também vieram morar em cortiços e submoradias, mas em poucas décadas integraram-se à classe média. Um dado chato de ouvir, mas que a vitimização esquerdista atual só prejudica o entendimento.
    Por outro lado, as chamadas "elites" foram tão nefastas para a cidade quanto os miseráveis. Depois de construíram bairros com razoável qualidade de vida e bom projeto (entre 1880-1930), destruíram tudo nos 80 anos seguintes, em nome da especulação máxima e do automóvel.
    A Avenida São João e seu elevado são o maior símbolo, em São Paulo, de como as elites perderam a mão na gestão urbana.
    Idem o mar de arranha-céus degradados que se espalhou, por exemplo, em grandes manchas entre o Centro e a Avenida Paulista.
    A "solução" apresentada pelas elites ao caos urbano que elas mesmas criaram é a "camarotização", a formação de guetos de harmonia e bem-estar protegidos por muros e seguranças do caos circundante. O shopping center é o símbolo máximo dessa "solução". Os condomínios verticais (ainda mais que os Alphaville), idem.
    Essa "solução" não é simples ignorância ou falta de rumo, é apenas ser fiel ao modelo de sempre: diante de desafios, mercadorize. No Brasil de hoje, espaço urbano seguro e harmônico é privado e pago.
    Na Europa mora-se em cubículos urbanos, mas se tem uma cidade inteira para desfrutar, qualquer gramado é uma praia, um espaço para comer com amigos, para dançar. As praças, rodeadas de obras de arte móveis e imóveis, são salas de visitas, salas de TV, "home theater", copa pra um cafezinho. Tudo de graça.
    Aqui as construtoras detêm o monopólio da satisfação dessas necessidades e amenidades. E cobram por isso.
    O caos urbano brasileiro é negócio.
    Tentar resolvê-lo mexe com muitos interesses...

    ResponderExcluir
  75. Ah, e outra questão: complicado desvincular a popularidade de Haddad da de Dilma e do PT, como se ele pairasse no ar da política nacional. Nem só de corredores e 50km/h se faz a impopularidade de Haddad...

    ResponderExcluir
  76. João, Estou tomando a liberdade de postar aqui um anexo https://youtu.be/G8qxUuW1quI de uma entrevista que Haddad concedeu ao jornalista Paulo Henrique Amorim nessa semana para que o debate no blog seja mais enriquecedor.

    ResponderExcluir
  77. Sobre as pesquisas. Os candidatos estrelas de TV apesar de populares num primeiro momento sao rapidamente massacrados na evolução das pesquisas quando ameaçam as estruturas de poder consolidadas. Isso já aconteceu com Russomano na última eleição e vai acontecer de novo.
    Sobre as ciclovias e o transporte. A intenção de uma ciclovia não é que o ciclista saia de casa e percorra 15 km de bike. Resolver o transporte em uma metrópole significa agir em várias frentes. Como regra geral as bicicletas e ciclovias devem servir para atender pequenas distâncias, de modo que estaçoes de trem e de metro estajsm equipadas com estacionamentos e tenham acesso para que o ciclista possa transportar sua bike, ou estaciona-la com segurança, para continuar seu caminho so destino de trem. Metro ou onibus.
    As politicas que lidam com transporte tb estão diretamente relacionadas com o plano diretor, que a longo prazo, define de onde para onde vamos na cidade. Historicamente SP foi dividida em polos muito concentrados de serviço e áreas predominantemente residenciais. Isso gera um fluxos elevados que poderiam ser evitados uma vez que o planejamneto da cidade tivesse privilegiado desde sempre um uso misto da ocupação do solo. Tendo como principal consequencia a redução das distancias e necessidade de licomoção de seus residentes.
    Talvez a maior ingenuidade repetida várias vezes nos comentários anteriores é a de que um dia o problema da mobilidade urbana deixará de ser um problema. Não vai. Não é assim em Paris, nem em Londres, muito menos em Nova Iorque ou Tokio. Aliás, o transito é muito pior. (Mas as condiçoes de transporte publico são muito melhores).
    Por fim, entrando no mérito do prefeito Haddad, é sim uma gestão que pensa e age diferente. Imperfeita e corrupta como todas as anteriores (educacão é uma questão de maturidade e tempo de democracia), mas propõe novos paradigmas baseados em soluçoes que vêm de referencias em outras cidades. Há muito o que melhorar na implantação de ciclovias. Mas elas estão aí. Devem e precisam ser corrigidas e melhoradas. Estão aptas ao uso, servem de incentivo ao uso de bicicletas como altenativa de transporte para pequenos trajetos. Além do mais acredito que a educação da população para o habito só é efetiva caso elas de fato existam para serem gradualmente utilizadas.
    Sobre a reeleição da atual gestão. Se reelegeram a catastrófica Dilma com um programa eleitoral miraculoso e Holywoodiano, fazer isso por Haddad não é tarefa impossível.

    ResponderExcluir
  78. Texto bem escrito e lúcido. Só que prefiro crer que essa pesquisa ainda vai mudar muito favoravelmente à Haddad. Cruzar os dedos e tentar espalhar esses bons feitos. Esse é o nosso papel!!!

    ResponderExcluir
  79. Bom texto, bons comentários, mas eu não votaria no Haddad
    Em primeiro lugar, não sou contra as faixas de ônibus e ciclovias, nunca usei as ciclovias, mas já usei bastante as faixas de ônibus, elas realmente fazem toda a diferença
    A minoria das pessoas mora a uma distância que possibilite ir trabalhar de bicicleta e mudar isso normalmente exige um custo que nem todos conseguimos suportar (mudando de endereço ou de emprego). E mesmo se não existissem esses problemas, poucas empresas têm infraestrutura para os ciclistas (no meu caso, o mínimo que a higiene exige depois de 20km pedalando no sol ou na chuva, é um banho) e as ruas (fora das vias principais) também não oferecem segurança para fazer o trajeto de volta à noite
    No meu bairro a única ciclovia feita foi em uma rua de 5 quarteirões e liga nada a lugar nenhum, não ajuda o trajeto de ninguém e eu nunca vi ciclistas ali. Claramente uma propaganda da prefeitura para mostrar que as ciclovias não são "só nos bairros de rico"
    Outro ponto que deveria ser uma preocupação é a educação e fiscalização dos ciclistas... trabalhei 3 anos na av. Paulista, que tem uma boa concentração deles, perdi as contas de quantas vezes vi ciclistas na contramão, ciclistas atravessando o farol vermelho (ignorando cruzamentos e faixas de pedestres), ciclistas invadindo a calçada e colocando os pedestres em risco, ciclistas se jogando na frente dos carros porque decidiram trocar de faixa sem fazer qualquer sinalização, ciclistas sem equipamentos de segurança, grupos de ciclistas travando o transito porque decidiram conversar no meio da rua... mas nada acontece com eles, apesar do impacto negativo que isso gera ao coletivo (transito + segurança dos pedestres e dos próprios ciclistas infratores)
    Quanto aos ônibus, de nada adianta fazer centenas de quilômetros de faixas de ônibus sem aumentar a oferta de ônibus. O resultado que temos são faixas vazias porque a demanda de ônibus é muito baixa (Antes das reclamações: a solução não é tirar a faixa, mas sim aumentar a quantidade de ônibus)
    A falta de estudos para a implementação das faixas de ônibus é gritante nos bairros, pois vias pequenas e que não possuíam tanto transito ganharam essas faixas, o resultado hoje é: ônibus andando na mesma velocidade (pois eles não ficavam parados no trânsito antes) e carros travados em congestionamentos (em locais que tinham um fluxo bom)
    Um ponto que ninguém parece levar em conta é a forma como a prefeitura para as empresas de ônibus: por passageiro. Será que se a prefeitura pagasse por ônibus circulando (independente do número de usuários) não teríamos uma oferta maior? Já ouvi a justificativa de que não podemos fazer nada pois os contratos já estão celebrados. O direito administrativo tem um instituto que se chama "interesse público" e ele justifica praticamente tudo, inclusive alterar um contrato
    Considerando que o Haddad queria desapropriar uma área da aeronáutica (o campo de marte), alterar um contrato desses é brincadeira de criança (aliás, essa desapropriação seria para a construção de prédios particulares)
    Perto da minha casa há uma obra de um corredor de ônibus que começou em nov/2013 e tinha o prazo inicial de (inacreditáveis) 18 meses, até agora ela está longe de estar pronta. Detalhe: a justificativa da obra era substituir o asfalto por concreto. Esse corredor sempre foi de concreto. Isso não parece uma gestão planejada e preocupada com os gastos públicos

    ResponderExcluir
  80. (continuação)
    Com relação à redução da velocidade das marginais, a primeira sexta feira pós redução + volta às aulas e já tivemos índices de transito dignos de véspera de feriado, com chuva e manifestação
    Trabalho em um prédio na marginal pinheiros, na última semana, todos os dias a partir das 16h30 a marginal trava e mesmo esperando até as 20h para sair, ainda pego trânsito na volta para casa.
    O meu trajeto (sua maior parte nas marginais) antes era de 50 minutos, hoje é de 1h30.
    Antes que me sugiram ir de ônibus: não tenho nenhuma linha de ônibus que faça esse trajeto. Poderia pegar 2 ônibus, ambos só passam de hora em hora e ficar no ponto esperando esse tempo inviabiliza o trajeto... infelizmente essa longa espera é a regra de quem pega ônibus. Mesmo 1h30 no trânsito ainda é mais rápido do que eu enfrentaria de ônibus e menos desgastante
    Quando estive em Paris (uma das cidades citadas aqui) não precisei usar transporte público, só andei a pé, porque as dimensões da cidade me permitiam isso (Paris:105,40 km²xSP:1522986 km²). ainda assim, tinha opções de transporte público literalmente a cada esquina
    Por fim, o transporte público é incomparavelmente melhor que o transporte individual (por inúmeras razões: custo, meio ambiente, etc), é insensato dizer que o stress de dirigir no trânsito é melhor do que um transporte público decente, mas essa não é a opção que nós temos, nosso transporte público no mínimo fere a dignidade
    Tenho certeza que com a melhoria do transporte as pessoas optariam pelo transporte público, como fazem nas cidades que o Haddad adora citar, mas pela qualidade desse serviço, não porque "a prefeitura resolveu que andar de carro é egoísta"
    Difícil despertar o sentimento de cidadania em pessoas que não são tratadas como cidadãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho esse ums dos pontos mais importantes que você comentou... espero que tenha ficado claro a muitos que leram que você só citou São Paulo, nem falamos das cidades do entorno que fazem "parte" de São Paulo:
      "Quando estive em Paris (uma das cidades citadas aqui) não precisei usar transporte público, só andei a pé, porque as dimensões da cidade me permitiam isso (Paris:105,40 km²xSP:1.522.986 km²). ainda assim, tinha opções de transporte público literalmente a cada esquina"

      Excluir
    2. Adorei sua frase "Difícil despertar o sentimento de cidadania em pessoas que não são tratadas como cidadãos." Parabens. Renato

      Excluir
  81. estava comentando exatamente isso ontem. são paulo não está pronta para um prefeito como o Haddad. não sou pt não votei nele mas tenho que reconhecer que ele tem sido bastante corajoso em enfrentar a turma do carro. se vc quer saber acho o Haddad um visionário. E deve estar sofrendo resitencia até dentro do PT que prefere a demagogia barata. Haddad é um prefeito de primeiro mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo carro, ar condicionado, ouvir música enquanto vejo a cidade, usar saia sem ser assediada. Adoro conforto!!!! Algum problema nisso? Prefeito de primeiro mundo ? Acordem!!!! Ninguém lê notícia? Ninguém vê o sofrimento do povo que mora longe para chegar no trabalho? Ninguém conversa com mulheres sobre o assédio que sofrem diariamente nos trens? E quanto ao aumento na quantidade de moradores de rua e drogados pela cidade. E quanto ao monte de assalto levando as bicicletas nas ciclovias? E quanto aos ambulantes que circulam no meio de pistas expressas como as marginais sem que ninguém os tire de lá e se vc atropelar um desses vai preso, afinal o ambulante é um trabalhador e tem direito de vender amendoim no meio da marginal. Quem diz que Haddad é prefeito do primeiro mundo nunca foi ao primeiro mundo, com certeza. SP está um lixo!!

      Excluir
    2. vamos lá...
      Algum problema em gostar de conforto? Não
      Prefeito de primeiro mundo? Sim
      Ninguém lê notícia? Depende do que você chama de notícia...
      Ninguém vê o sofrimento do povo que mora longe? Acho que não... Tanto que não se dá valor pras melhorias no transporte coletivo municipal na gestão haddad... os corredores de ônibus, por exemplo...
      Ninguém conversa com mulheres sobre o assédio que sofrem diariamente nos trens? Trem é de responsabilidade do estado e não do município...
      E quanto ao aumento na quantidade de moradores de rua e drogados pela cidade? Número baseado em? O Haddad teve a tentativa mais humana de lidar com este problema...
      E quanto ao monte de assalto levando as bicicletas nas ciclovias? Segurança pública é responsabilidade do Estado, não no Município...
      E quanto aos ambulantes que circulam no meio de pistas expressas como as marginais sem que ninguém os tire de lá e se vc atropelar um desses vai preso, afinal o ambulante é um trabalhador e tem direito de vender amendoim no meio da marginal? Sim, se você atropelar vai preso... ainda bem...

      Excluir
  82. Pra complemenrar: parece q a reducao de velocidade nas marginais nao prejudica o fluxo de carros.
    http://www.mobilize.org.br/noticias/8503/a-logica-das-marginais.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece? Parece que você não dirige por lá... o artigo não leva em considerações uma série de fatores, cruzei a via inteira hoje... afff....

      Excluir
  83. Moro na zona leste, trabalho num home Office durante as manhãs e 1 x por semana, eu revezo com meus sócios uma ida até um bar onde fazemos a curadoria musical através de um projeto. Confesso que não tenho coragem de sair da zona leste ( são Mateus) e ir até a região das Clínicas de ônibus e metro, por causa da falta de segurança, especialmente entre a região da Rua Minas Gerais e Paulista para chegar até a estação de metro mais próxima.

    A gestão do Hadadd é boa? Olha, ele tentou. Logo, é uma piada o que ele, juntamente com a CET impôs aos comerciantes da Mateo Bei em nome de uma mobilidade. Resolveu o problema de trânsito da Via? Sim.Mas derrubou o movimento, especialmente com as vendas dos lojistas. Haddad é moderno, mas o que adianta ser a frente de seu tempo se temos uma população tão provinciana, onde precisa usar o carro como muleta? E as nossas vias super mal iluminadas? Quando é Haddad que vai resolver a iluminação da Mateo Bei?

    ResponderExcluir
  84. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  85. De qualquer forma a mídia iria atacar o prefeito Hadad porque ele é do PT. A grande imprensa está buscando de todas as formas possíveis criminalizar, desvalorizar, desprestigiar tudo que leva a políticos do PT. Não digo que alguns deles não sejam inocentes, como também inúmeros outros políticos da direita ou centro. Mas o primordial é desgastar a imagem do PT.

    ResponderExcluir
  86. Não adianta ,por mais que Haddad faça ,antipetistas desvalorizam seu trabalho humanista.
    Russomano,Datena,e tucanos nada fazem ou fizeram algo de bom para SP e o Brasil ,o reto é mimimi de golpistas

    ResponderExcluir
  87. Cara gostei do teu texto, porque nos força a enxergar além do que a mídia expõe. Mas sinceramente, não consigo concordar com o fato de querermos o mesmo conforto no transporte público e individual porque é impossível. Onde moro só passa uma linha de ônibus que leva para o metrô, e a mesma demora em média 50 minutos para chegar ao metrô, sendo que para chegar ao trabalho eu ainda teria andar uns 30 minutos no mesmo e pegar um trem, sendo que de carro, por mais estressante que seja, eu demoro os mesmos 50 minutos do ônibus.

    Eu adoraria largar o carro para ir de transporte público para lá e para cá, mas sinceramente é impossível. E outra, concordo que os ciclistas tem que ter seu espaço, mas o modo como esse projeto foi implementado é no mínimo, questionável. Acabou de ser lançada a ciclo faixa do minhocão ao preço de 7 milhões por 4,5km, sendo que umas goteiras já estão tirando a tinta de alguns lugares.

    Acho bom enxergarmos todos os pontos da gestão do Haddad.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  88. #Forahaddad políticos são nossos servidores - devem nos servir - e não nossos mestres - para nós dizer o que fazer.

    ResponderExcluir
  89. ¨Combate à especulação imobiliária¨, este mané aí? Pois aqui na ZN ele quer fazer piscinão quando estamos numa crise hídrica danada, ou seja, quer entubar rios quando o que precisamos é de mais água e verde. Enquanto isso, vejo cada vez mais construções em beira de rios e córregos o que, pela legislação, não poderia ser feito. Ele pinta umas faixas de vermelho e diz que é ciclovia, já viu uma ciclovia em país de primeiro mundo, com arborização e faixa para pedestres - e SEM espigões e superadensamento populacional prá todo lado? Isto aí é para os mauricinhos e patricinhas da USP, com suas bicis carésimas. Se fosse sério, faria ciclovia para quem trabalha, com estacionamento gratuito nos metrôs. Este cara é uma piada - os princípios não são ruins, só que ele precisaria perceber que está em país de terceiro mundo e pensar em soluções a partir desta constatação!

    ResponderExcluir
  90. É impressionante como as pessoas opinam sem antes se informar. Vale a pena ler esta matéria sobre o que o Haddad fez com relação aos

    semáforos: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,meta-para-reformar-semaforos-esta-90-concluida-diz-haddad,1587981

    corrupção: http://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/plenos-poderes/haddad-enfrenta-mafia-do-iss-e-amplia-arrecadacao-em-74/

    redução da taxa de crescimento do trânsito: http://www.capital.sp.gov.br/portal/noticia/5164#ad-image-0

    metrô e trem são de responsabilidade do estado, não do município: http://www.stm.sp.gov.br/index.php/quem-somos-27/nossa-secretaria

    para se informar melhor e não falar besteira: http://www.oquefoifeito.prefeitura.sp.gov.br/


    ResponderExcluir
  91. Durante anos a esquerda (de forma sórdida, mas competente) escalou quase todos os espaços do setor público e da mídia tradicional. Quando achavam que estava tudo dominado, a genialidade humana criou e disseminou - através do capitalismo - as redes sociais, ou seja, uma nova forma de expressão que permitiu às pessoas usarem de sua liberdade para questionar as mentiras repetidas 1000 vezes que a dominação cultural esquerdista vinha impondo como "verdades". O que eles agora carimbam como "ódio" geralmente é tão somente uma justificada aversão ao coletivismo socialista e a defesa intransigente do indivíduo e de sua liberdade. E essa força será cada vez maior.

    ResponderExcluir
  92. Excelente texto!! Ótima análise! Triste realidade! (gostaria de sugerir que mudem a cor do fundo da tela, é muito desagradável ler um texto branco sobre fundo escuro). Obrigada!

    ResponderExcluir
  93. Ótimo texto!

    Falar que usa o carro porque o transporte público ruim é muita ignorância! Eu tenho a opinião de que se todos optarem pelo transporte público, vai gerar demanda e apelo, no começo vai ser bem complicado, mas o legado que teremos no futuro, é imensurável! Como muitos falaram aí, é algo para anos e não de uma noite para outra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amo carro. Sou coxinha por isso?? Se sim, sustento minha "coxinhês" com meu trabalho, diariamente. Afinal, não vivo de herança.

      Excluir
  94. Eu adoro essa invenção chamada carro!! Adoro o conforto, o ar condicionado, adoro ir ouvindo música, apreciando a cidade. São Paulo é muito grande, no caso sou representante comercial, visito clientes diariamente pelos quatro cantos da cidade, carrego um mostruário pesado de tecido. Impossível mesmo ter essa profissão usando bicicleta ou transporte público... Sou contra as ciclovias e super a favor dos corredores de ônibus que isso sim facilita muito a vida das pessoas de todos os cantos , isso sim é
    democrático.
    Para o lazer, São Paulo precisa de parques!!!!Muito mais aáreas verdes nas periferias. Não venha querer me vender a idéia de que andar de bicicleta no minhocão aos Domingos é lazer. Faça me o favor! Qual o prazer de circular num lugar cheio de concreto em dia ensolarado, para mim funciona o contrário, me dá depressão. Idem avenida Paulista como lazer. Ridículo.
    A favor de mais parques e corredores de ônibus. Sem falar metrô. Agora, ciclovia como prioridade???? Não vejo pessoas nela. Não funcionou como mobilidade pq devido ao tamanho da cidade, instabilidade do clima e agilidade em que as coisas acontecem em SP, ciclovia não vingou. Admita, Sr Haddad.

    ResponderExcluir
  95. Se depender do meu voto esse prefeito nunca mais ganha pra nada, esse fdp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o texto teve ao todo 180 comentários, incluindo as minhas respostas... o seu foi o primeiro com palavrão... "parabéns"...

      Excluir